• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Tecnologia Aplicativo vai ajudar motoristas no Recife Pioneiro, projeto desenvolvido pelo Porto Digital indicará onde há vagas de estacionamento

Por: Glynner Brandão - .

Publicado em: 14/09/2013 14:00 Atualizado em: 14/09/2013 17:48

Ruas do Bairro do Recife serão monitoradas por câmeras e equipes de bike. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press
Ruas do Bairro do Recife serão monitoradas por câmeras e equipes de bike. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press
Já imaginou encontrar uma vaga de estacionamento de Zona Azul com apenas alguns toques na tela do celular? Isso será possível até o fim do ano nas ruas do Bairro do Recife. Um aplicativo pioneiro está sendo desenvolvido pelo Porto Digital e processará imagens captadas em tempo real por vinte câmeras de alta resolução, indicando o número de vagas livres por rua. As câmeras e equipes de bicicleta permitirão a atualização das informações das 8h às 18h (funcionamento da Zona Azul) a cada dois minutos. O aplicativo é uma das intervenções do projeto Porto Leve e poderá ser baixado gratuitamente no site do programa.

Dez ruas vão ser monitoradas pelas câmeras: Avenida Barbosa Lima e ruas do Observatório, Rodrigo Mendes, do Apolo, da Guia, Domingos José Martins e as quatro que contornam a Praça do Arsenal. Nas outras vias, duas equipes da Serttel, por turno, circularão de bicicleta pelo Recife Antigo e atualizarão os dados de um ponto eletrônico remoto.

Informações sobre vagas chegarão aos smartphones. Foto: Glynner Brandão/DP/D.A Press
Informações sobre vagas chegarão aos smartphones. Foto: Glynner Brandão/DP/D.A Press
Hoje, o Recife Antigo conta com cerca de 800 vagas rotativas. Ao abrir o aplicativo, o usuário poderá consultar um mapa, onde o número de espaços livres é informado por rua. Balões nas cores vermelha (sem vagas), amarela (poucas vagas) e verde (muitas vagas) aparecerão sobre o nome da via, ajudando o usuário a identificar os locais onde há espaço. “Hoje é uma dificuldade estacionar no Bairro do Recife. Com o aplicativo, a pessoa verá se e onde tem vaga. Um mapinha será aberto no celular e usuário verá, assim, quantos espaços estão disponíveis para o estacionamento”, informou Cidinha Gouveia, gerente de Projetos do Porto Digital.

Com a implantação da tecnologia, o Porto Digital espera que os motoristas economizem tempo na procura por estacionamento e que os níveis de estresse e poluição sejam reduzidos. “O aplicativo é uma alternativa sustentável. Não polui o meio ambiente e ainda faz os motoristas ganharem tempo”, completou Cidinha.

Desde setembro, o aplicativo está sendo testado pela Serttel. Os engenheiros avaliam a melhor posição para as câmeras e otimizar a captação das imagens. As técnicas que serão usadas no rastreamento das vagas também ainda estão sendo definidas. O Recife Antigo foi escolhido para receber o projeto piloto porque reúne “serviços de uma pequena cidade”. “É um laboratório a céu aberto”, afirmou Alberto Van Drunen, diretor de
Tecnologia da Serttel.

O valor investido na criação da tecnologia não foi divulgado pelo Porto Digital, mas o Porto Leve está orçado em R$ 5 milhões. Quando estiver pronta, a ferramenta será disponibilizada de graça no site www.portoleve.org. Para quem já conta com o aplicativo das bikes do projeto Porto Leve, a nova função será atualizada automaticamente.


Dez minutos tentando

A difícil tarefa de estacionar o carro no Recife Antigo também é vivida pelo universitário Marco Rezende, 20 anos. Em média, ele gasta entre 20 e 30 minutos procurando por uma vaga desocupada. Quando foi entrevistado pelo Diario, tinha acabado de conseguir uma após 10 minutos tentando. Ele seguia para o Marco Zero.

Reunião perdida

O desafio de encontrar uma vaga de estacionamento no Bairro do Recife é enfrentado três vezes por semana pelo motorista Luiz de Araújo, 36. No dia em que foi entrevistado pelo Diario, ele já esperava a uma hora. Sem opção, acabou perdendo uma reunião no Porto Digital, a menos de cem metros de onde estava.



Entrevista >> Alberto Van Drunen,

diretor de Tecnologia da Serttel


“Segurança também será ampliada”

Na prática, quais são os benefícios do aplicativo?
O principal é a gente diminuir o tempo de procura das vagas, não ficar circulando por ruas que a pessoa sabe que não têm espaço. Então, a antecipação da informação ajuda o usuário a ir direto ao lugar onde há mais chances de encontrar vagas livres. Além disso, como a informação vem de câmeras, há outro benefício: o aumento da segurança, já que a área onde o carro está será filmada. Então, isso oferece uma maior percepção de segurança para a população, aliada aos dados. A ideia geral do projeto é que o usuário consulte o celular, olhe o mapa e perceba onde é que ele tem mais chances de encontrar vagas livres, tudo automaticamente.


Qual é o principal desafio para a implantação dessa ferramenta? 

É a escolha da tecnologia e das técnicas de processamento das imagens. Estamos estudando diversas técnicas para identificar a quantidade de veículos estacionados, baseado no que está sendo visto por uma câmera. Estamos usando 20 câmeras, experimentando várias situações: ângulos, posicionamento dos carros. É um trabalho de processamento de imagens. Usamos muitas técnicas matemáticas de identificação de padrões e dos elementos que compõem um veículo estacionado para fazer, assim, a contagem e a disponibilização dessas informações aos usuários.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.