Feira Livre Aves silvestres são apreendidas em Abreu e Lima e Linha do Tiro Cipoma resgatou os animais, que estavam sendo comercializados ilegalmente durante este fim de semana

Publicado em: 24/06/2018 16:52 Atualizado em: 24/06/2018 17:11

Aves foram entregues ao CETA/CPRH e serão soltas na natureza (PMPE)
Aves foram entregues ao CETA/CPRH e serão soltas na natureza

A operação Feira Livre, da Companhia Independente de Policiamento do Meio Ambiente (Cipoma), da Polícia Militar de Pernambuco, apreendeu 122 aves silvestres apenas durante esse fim de semana. No sábado, a intervenção aconteceu no município de Abreu e Lima, Região Metropolitana do Recife (RMR), quando foram capturadas 72 aves silvestres. Ontem pela manhã, mais 50 animais foram apreendidos no bairro da Linha do Tiro, Zona Norte do Recife.

Segundo a Polícia Militar, em Abreu em Lima, dois homens pegos em flagrante comercializando os animais foram conduzidos para a Delegacia de Paulista, onde foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência em desfavor dos acusados. Vender animais silvestres contraria o artigo 29 da Lei de Crimes Ambientais 9.605/1998. Na ocasião, foram apreendidas dez salta caminhos, 23 galos-de-campina, 17 papa-capins, quatro sanhaçus, dois papa-arrozes e um caboclinho.

"Também foi apreendida a quantia de R$ 294, fruto do tráfico de animais silvestres. No momento da abordagem foram abandonados dois sabiás, cinco papa-capins, dois canários da terra, um guriatã, um sibito, um solta caminho, um sanhaçú e um galo de campina", informou a Polícia Militar de Pernambuco.

Na apreensão da Linha do Tiro, contudo, ninguém chegou a ser preso. Entre os 50 animais capturados, foram encontrados seis solta-caminhos, três galos-de-campina, um papa-capim, sete tuins, um vem-vem, um sabiá-laranjeira, quatro canários-da-terra, três patativas, três manés-magos, seis cravinas, um sibito, três bicos-de-lacre e onze tizius.

Ainda de acordo com a Polícia Militar de Pernambuco, todos os animais apreendidos em Abreu e Lima e na Linha do Tiro foram entregues ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Pernambuco (Cetas), vinculado à Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), para depois serem soltos na natureza.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.