• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Turismo Forte de Tamandaré passa por requalificação e é transformado em museu Todo o processo de arqueologia do museu foi acompanhado pelo Ministério da Marinha/IPHAN

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/07/2017 20:49 Atualizado em:

Espaço interno foi transformado em museu climatizado. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação (Espaço interno foi transformado em museu climatizado. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação)
Espaço interno foi transformado em museu climatizado. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação

O Forte Inácio de Loyola, em Tamandaré, foi requalificado e teve sua área interna transformada em museu histórico. Todo o processo de arqueologia do museu foi acompanhado pelo Ministério da Marinha/IPHAN. 

As peças que já faziam parte da exposição do forte se juntaram a outras que surgiram durante o processo de requalificação do equipamento. Todas elas foram catalogadas e restauradas. Além da arqueologia, foram realizados no forte, serviços de reforço nas estruturas da muralha, baloarte (extremidades) e terrapleno (área dos canhões), como contenção, alvenaria e pintura, cobertura e impermeabilização e revestimento de teto. Todo o espaço conta agora com climatização. 

"A requalificação do Forte Santo Inácio vem atender uma demanda de valorização histórica do município de Tamandaré e de Pernambuco. Com mais de 300 anos de construção o equipamento é um dos ícones da arquitetura antiga do Estado, construído com ajuda dos antigos donos de engenhos. Para se ter ideia, o equipamento levou 14 anos para ficar pronto. Sem dúvida um ícone a ser preservado", explica o secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras.

Além da arqueologia, foram realizados no forte, serviços de reforço nas estruturas da muralha, baloarte (extremidades) e terrapleno (área dos canhões), como contenção, alvenaria e pintura, cobertura e impermeabilização e revestimento de teto. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação (Além da arqueologia, foram realizados no forte, serviços de reforço nas estruturas da muralha, baloarte (extremidades) e terrapleno (área dos canhões), como contenção, alvenaria e pintura, cobertura e impermeabilização e revestimento de teto. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação)
Além da arqueologia, foram realizados no forte, serviços de reforço nas estruturas da muralha, baloarte (extremidades) e terrapleno (área dos canhões), como contenção, alvenaria e pintura, cobertura e impermeabilização e revestimento de teto. Foto: Hesíodo Góes/Divulgação

O Forte Santo Inácio possui artilharia histórica da América portuguesa, desde o ano de 1500 até 1730. O equipamento  foi construído para proteger o porto dos ataques holandeses e é, hoje, o único forte pernambucano fora da área metropolitana do Recife, com exceção do Forte de Fernando de Noronha. Atualmente, o equipamento se encontra sob a guarda da Capitania dos Portos do Ministério da Marinha. 

O investimento de R$ 9,6 milhões teve recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e as obras foram executadas pelo Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, por meio do Prodetur. O equipamento passará agora para gestão da Prefeitura de Tamandaré.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.