• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Crise Seca provoca colapso de barragem no Agreste Responsável pelo abastecimento da cidade de Bezerros, a barragem Brejão não oferece mais condições de captação de água

Publicado em: 17/01/2017 11:07 Atualizado em: 17/01/2017 15:48

A barragem está operando com apenas 5% da sua capacidade. Foto:Compesa/Divulgação
A barragem está operando com apenas 5% da sua capacidade. Foto:Compesa/Divulgação

A estiagem prolongada que assola o Nordeste, em especial a região Agreste, provocou o colapso da Barragem Brejão, localizada no município de Sairé e responsável pelo abastecimento da cidade de Bezerros. Com apenas 5% da capacidade total, a barragem só tem condições operacionais para explorar 35 litros de água por segundo, volume suficiente para atender as estações de abastecimento tipo chafariz que serão disponibilizadas a partir desta terça-feira em pontos estratégicos da cidade. O abastecimento alterativo contará inicialmente com seis pontos e os demais serão construídos e instalados até o final deste mês.

Segundo o diretor Regional do Interior da Compesa, Marconi de Azevedo, o órgão adotou um rigoroso controle da água disponível, a fim de  garantir a sobrevida da barragem e com isso estender o máximo possível  o atendimento à população pela rede de distribuição. "Fizemos todo o possível para otimizar a água do manancial, mas sem chuvas regulares, a situação ficou muito difícil. Estamos vivendo a pior seca no Agreste dos últimos 50 anos", afirmou.

Antes do colapso da Barragem Brejão, que tem a capacidade de acumular 1,6 milhão de metros cúbicos, a Compesa conseguia retirar 85 litros por segundo para o atendimento de Bezerros, que já sofria com um rigoroso racionamento. Alguns pontos da cidade chegavam a passar até 26 dias sem água. "Antes disso, Bezerros recebia reforço de 40 litros por segundo do Sistema Jucazinho, mas em setembro de 2015, em virtude do baixo nível da Barragem de Jucazinho, em Surubim, tivemos que retirar a cidade deste sistema, além de Caruaru e Gravatá", relembra Marconi.

Na última sexta-feira, o governador Paulo Câmara  esteve em no município e assinou uma ordem de serviço no valor de R$ 2 milhões para  o início da obra de Transposição do Rio Sirinhaém para a Barragem de Brejão, que irá ofertar uma vazão 110 litros por segundo, dentro de cinco meses. Além disso, até o final de 2017, está prevista a modernização e ampliação da capacidade de tratamento da ETA (Estação de Tratamento de Água) de Bezerros, de 160 para 370 litros por segundo. No total, serão investidos R$ 9 milhões em recursos do Governo Federal, Governo do Estado e Compesa.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.