• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Especialista: Consumo consciente da água é única saída para escassez O consultor João Bosco de Almeida chama atenção para a educação voltada à sustentabilidade

Por: Ana Luiza Machado - Diario de Pernambuco

Publicado em: 27/03/2015 10:42 Atualizado em: 27/03/2015 16:08

"Estamos em um momento em que a água que guardávamos não está dando mais para o que consumimos", alerta ex-secretário de recursos hídricos. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
"Estamos em um momento em que a água que guardávamos não está dando mais para o que consumimos", alerta ex-secretário de recursos hídricos. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
Era uma manhã de sol forte no Recife quando a reportagem foi entrevistar o ex-secretário de Recursos Hídricos do estado e também ex-presidente da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), João Bosco de Almeida, agora, consultor. Nos primeiros minutos de conversa, ele fornece um dado espantoso: 10% da área de Pernambuco tem energia solar correspondente a tudo o que a Chesf já produziu no Rio São Francisco. Não aproveitamos. E ainda seguimos usando a água de forma descontrolada.

Bosco explica de forma muito simples porque o Brasil e o mundo enfrentam, neste momento, uma crise no abastecimento de água. Ele salienta que, a medida que o homem foi tomando conhecimento da questão hídrica, dos ciclos das chuvas, fomos criando formas de guardar a água para os períodos de estiagem, construindo barragens, reservatórios, caixas d'água, entre outros mecanismos. “O fato é que estamos em um momento em que a água que guardávamos não está dando mais para o que consumimos. Tivemos quatro anos seguidos de ciclos hidrológicos ruins. Isto nunca havia acontecido antes, mas é a natureza dando os sinais para que a gente aprenda a viver com menos água, ou então vamos ter sérios problemas lá na frente”, afirma João Bosco.

O especialista lamenta que no Brasil a consciência só chega quando pesa no bolso. Segundo João Bosco, a educação é a única saída para que não escutemos frases do tipo “eu não preciso economizar água porque posso pagar por ela”. Sentimento que demonstra profundo desconhecimento sobre o que está acontecendo à nossa volta. “Se não nos reeducarmos, os que não se preocupam com a escassez de água porque acreditam que podem pagar por ela, terão o dinheiro, mas não terão água pra comprar”, defende.

Além das alternativas conhecidas do uso racional da água, como a economia no banho ou na hora de lavar os pratos, João Bosco chama atenção para a importância da reciclagem visando a este fim. De acordo com ele, tudo o que está pronto para consumirmos representa uma demanda já gasta de água. Uma embalagem que compramos, um papel que utilizamos, roupas que vestimos, todos esses itens consumiram água na sua produção. “Quando reutilizamos materiais, acabaremos economizando água também. E é preciso fazer isto porque já estressamos a natureza a tal ponto que ela dá sinais de que não está mais produzindo como antes. Então, não dá mais para beber um copo d'água e usar 10 para lavá-lo”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.