Aventura Paraquedistas em foco na primeira edição do Diario nas Férias O programa foi até o Aeródromo Coroa do Avião, em Igarassu, para conhecer um dos esportes mais radicais do mundo

Por: Samuel Calado - Redes Sociais

Publicado em: 06/01/2019 07:22 Atualizado em: 06/01/2019 08:25

A equipe foi convidada a saltar pelo grupo Sky Dreamers. Foto: Bruno Cury/Divulgação
A equipe foi convidada a saltar pelo grupo Sky Dreamers. Foto: Bruno Cury/Divulgação

Você teria coragem de saltar de um avião a mais de 14 mil pés? A primeira edição do Diario nas Férias encheu o peito de coragem e foi até o Aeródromo Coroa do Avião, no município de Igarassu para experimentar o paraquedismo, um dos esportes mais radicais do mundo na última sexta-feira (04). Além de elucidar algumas dúvidas e curiosidades que envolvem esta modalidade, o grupo convidou a equipe de reportagem para realizar um salto duplo. 

A aeronave Caravan C208A veio de São Paulo e tem capacidade para levar até 15 paraquedistas em um único voo.  Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia
A aeronave Caravan C208A veio de São Paulo e tem capacidade para levar até 15 paraquedistas em um único voo. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia

Poucos sabem, mas o estado de Pernambuco possui uma escola de paraquedismo e até um avião sofisticado para atender a atividade. O Caravan C208A  tem capacidade para levar 15 paraquedistas no mesmo voo. A aeronave foi trazida no final do ano passado de São Paulo pela pernambucana Sky Dreamers em parceria com a Skydive4fun, a segunda maior escola de paraquedismo do país. Além de atingir uma altitude de 13 mil pés em apenas 14 minutos, ela avalia a condição de tempo, calcula a posição dos atletas em relação ao solo e garante uma média de 45 segundos de queda livre aos participantes. O empresário Breno Cavalcanti contou que o objetivo de investir no segmento esportivo no estado está em proporcionar aos pernambucanos e turistas uma vivência segura e aguçar também outros olhares sobre os pontos turísticos. “A Skydreamers surgiu da paixão pelo paraquedismo e a nossa missão é fazer com que o esporte aconteça da forma mais segura e profissional possível, se tornando uma experiência inesquecível para as pessoas”, ressaltou. 

O salto duplo é acompanhado de um instrutor. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia
O salto duplo é acompanhado de um instrutor. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia

O instrutor Kaene Vasconcelos, da Escola Pernambuco de Paraquedismo, explicou que para participar do salto é preciso ter no mínimo 14 anos de idade e pesar mais de 40 quilos. No caso dos adolescentes, é necessário ter autorização assinada pelos pais ou responsáveis. Sobre a segurança, o profissional disse que os equipamentos são vistoriados com regularidade para que a atividade ocorra da forma mais segura possível. “Oferecemos aos apaixonados pelo paraquedismo, ou aos que querem conhecer o esporte, o que existe de mais moderno e seguro”, disse. 

O cantor Dudu do Acordeon salta há 5 anos. Para ele, o paraquedismo vai muito além de diversão, é terapia. Foto: WhatsApp/Cortesia
O cantor Dudu do Acordeon salta há 5 anos. Para ele, o paraquedismo vai muito além de diversão, é terapia. Foto: WhatsApp/Cortesia

Além da equipe de reportagem, os cantores Dudu do Acordeon, Irah Caldeira e Nathalia Calasans também foram convidados a participar do salto. De todos, apenas o Dudu já tinha familiaridade com a atividade. Há cinco anos, ele realizou o sonho de saltar e de lá para cá tornou esta atividade o seu segundo amor. “A cada vez que eu salto, sinto uma sensação diferente. O paraquedismo é um esporte que faz a gente refletir sobre a vida e esquecer qualquer problema. Não é a tôa que já estou com mais de 100 saltos”, expressou.  

Relato 
Instrutor Bruno Cury colocando o macacão de segurança no repórter Samuel Calado. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia
Instrutor Bruno Cury colocando o macacão de segurança no repórter Samuel Calado. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia

O medo e a ansiedade tomavam conta daqueles que se atreviam pela primeira vez a experimentar a atividade radical. Antes de saltar, os participantes receberam algumas informações e regras de segurança. O paraquedista Bruno Cury, de 33 anos acompanhou a equipe do Diario na aventura. Enquanto colocava o macacão no repórter, o rapaz que já acumula mais 1.500 saltos em seu currículo, falou que o paraquedismo é bastante seguro. “Na atividade, contamos com um paraquedas de emergência, logo caso o primeiro não seja ativado, o segundo entra em cena. Se o participante passar mal, por exemplo, ao chegar em uma altitude definida, o sistema de segurança é acionado automaticamente e o participante desce em segurança”, elucidou. 

Após montar o macacão e repassar as regras, os participantes se deslocaram até a aeronave e embarcaram. No trajeto, cada instrutor repetiu as informações ditas em solo e conferiu os conectores do equipamento, sempre de forma enérgica e positiva. Segundos antes de saltar, um momento marcante foi o cumprimento realizado por todos e desejos positivos para uma aventura inesquecível. 

O repórter tentou disfarçar o nervosismo, mas sem sucesso. Pensou em desistir várias vezes, mas algo que o paraquedismo e o instrutor ensinam é que muitas vezes as pessoas precisam vencer os seus medos para experimentar aventuras maiores.  No momento certo, o instrutor conduz o jornalista até a saída e após darem alguns passos, saltam, fazendo a adrenalina tomar conta de um momento especial. 
 
Assista ao vídeo 
 
 

O vento no rosto e as nuvens nas mãos fazem os dois se sentirem por poucos instantes pássaros voando em meio a imensidão. É como sonhar de olhos abertos e enxergar um mundo diferente do habitual. Aquele registrado pelos drones, helicópteros e satélites. No momento certo, o instrutor ativa o paraquedas e ele se abre, iniciando um outro estágio do salto, onde há a contemplação das belezas do estado. É possível ver as águas cristalinas das praias pernambucanas, os rios em curva e os mangues. As matas e estradas também. A dupla vai descendo, descendo até chegar ao solo. Cada sensação é única e essa é a emoção do paraquedismo: viver intensamente cada instante da vida. Se tiver a oportunidade de vivenciar meu querido leitor, vivencie. 

Programação de férias 
Aterrissagem do instrutor junto com o participante do salto duplo. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia
Aterrissagem do instrutor junto com o participante do salto duplo. Foto: Jefferson Belarmino/Cortesia

Até o dia 24 de janeiro o grupo estará oferecendo o Boogie de Férias que conta com dois tipos de saltos o duplo e o para formação de atletas. No primeiro, o participante salta com um instrutor e o segundo tem um direcionamento formativo, com técnicas avançadas para a modalidade. A atividade ocorre no Aeródromo da Coroa do Avião, na Estrada de Nova Cruz, PE 14, KM 2.6, em Cruz de Rebouças, no município de Igarassu. Mais informações podem ser obtidas através do número 81 9601-8563.
  
Conheça o Diario nas Férias 
Salto duplo com a equipe de reportagem do Diario. Foto: Bruno Cury/Divulgação
Salto duplo com a equipe de reportagem do Diario. Foto: Bruno Cury/Divulgação

Pernambuco é palácio de belas praias e possui uma paleta expressiva de lugares para se visitar. O projeto Diario nas Férias  tem justamente a intenção de mostrar os lugares que muitas vezes não são divulgados ou conhecidos, mas que possuem um grande potencial turístico. Trata-se de um programa apresentado ao vivo nas plataformas digitais e site com o objetivo de aproximar os espectadores e leitores para este cenário e propor também roteiros de férias. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.