Notícias, Esporte, Pernambuco, Política, Tecnologia, Vídeos, Fotos, Mundo, Divirta-se

Pernambuco.com

Recife, 22/NOV/2017
 
cheia

  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

ROTEIRO » Um Porto Seguro para qualquer tribo Destino certo de jovens em busca de diversão, a cidade baiana tem muito mais a oferecer para quem procura boas histórias e sossego

Adaíra Sene

Publicação: 09/07/2017 10:42 Atualização: 10/07/2017 16:51

Com pouco mais de 147 mil habitantes, Porto Seguro abraça 1,5 milhão de turistas por ano. Foto: Adaíra Sene/DP (Com pouco mais de 147 mil habitantes, Porto Seguro abraça 1,5 milhão de turistas por ano. Foto: Adaíra Sene/DP)
Com pouco mais de 147 mil habitantes, Porto Seguro abraça 1,5 milhão de turistas por ano. Foto: Adaíra Sene/DP


Quando Pero Vaz de Caminha avistou as terras tupiniquins notou, de imediato, que tudo que nela se planta, cresce e floresce. No extremo sul da Bahia, na Costa do Descobrimento, Porto Seguro - e seus pouco mais de 147 mil habitantes - transpira história, cultura e, claro, diversão. Muito além das festas, praias e do glamour, a cidade remonta o surgimento do povo brasileiro, das tradições religiosas, gastronômicas e da pele queimada pelo sol. Uma semana é pouco para explorar a diversidade do destino com o terceiro maior polo hoteleiro nacional (perdendo apenas para o Rio de Janeiro e São Paulo). São 400 meios de hospedagem e mais de 45 mil leitos cravados na Mata Atlântica em um dos balneários mais atraentes do país.

Com quatro destinos em um só lugar, Porto Seguro se desdobra em Arraial D’Ajuda, Trancoso e Caraíva. Quem busca sol e mar pode preparar o protetor, afinal são 85 quilômetros de ondas que se estendem da vila de pescadores Caraíva, no Litoral Sul, até a Praia do Mutá, no Litoral Norte. Mas há muito mais. A Passarela do Descobrimento, principal corredor turístico de Porto, reúne dezenas de barracas e casas noturnas com programação intensa diariamente. As festas no Axé Moi, por exemplo, fizeram o destino ser um dos mais procurados por jovens em busca de badalação. A aposta também é alta no réveillon, carnaval e no São João Elétrico.

Cravado na Mata Atlântica, é um dos balneários mais bonitos do país. Foto: Adaíra Sene/DP (Cravado na Mata Atlântica, é um dos balneários mais bonitos do país. Foto: Adaíra Sene/DP)
Cravado na Mata Atlântica, é um dos balneários mais bonitos do país. Foto: Adaíra Sene/DP


O Centro Histórico, considerado Monumento Nacional, foi tombando pelo Iphan por ser "local de origem da nação brasileira". A área preserva casas coloniais e as primeiras igrejas erguidas no Brasil. A Igreja de Nossa Senhora do Rosário, construção jesuíta, foi a primeira a receber imagens de santos negros para a catequização de escravos. Ao lado, ainda é possível ver as ruínas de um antigo convento e, por trás, uma grande cruz simbolizando a resistência onde eram celebrados os rituais de matrizes africanas. Museus abertos, os espaços podem ser visitados e contextualizados pelos 360 guias turísticos cadastrados para atender os viajantes.

A oito quilômetros do Centro surge a Reserva Indígena da Jaqueira, que abriga a etnia Pataxó. Na reserva, é possível conhecer mais dos costumes, tradições e modo de vida dos nativos da Pindorama (a Terra das Palmeiras, como era chamado o país pelos indígenas antes da chegada dos portugueses). Aula viva sobre como os nossos ancestrais se mantêm em meio à evolução tecnológica e mudanças da sociedade, a aldeia abriga 32 famílias. A índia mais velha tem 98 anos e há 50 crianças. O passeio custa R$ 40 por pessoa. Quem busca sinestesia com a natureza pode aproveitar e conhecer também o Parque Nacional do Pau-Brasil e suas árvores centenárias.

Passeio pela Reserva da Jaqueira remonta o surgimento do Brasil nos passos da etnia Pataxó. Foto: Adaíra Sene/DP (Passeio pela Reserva da Jaqueira remonta o surgimento do Brasil nos passos da etnia Pataxó. Foto: Adaíra Sene/DP)
Passeio pela Reserva da Jaqueira remonta o surgimento do Brasil nos passos da etnia Pataxó. Foto: Adaíra Sene/DP


Os amantes da vida selvagem não podem deixar de fazer a Observação das Baleias Jubarte. Entre os meses de julho e outubro, os maiores mamíferos do planeta migram das águas geladas da Antártica em direção ao litoral baiano para se reproduzirem. O passeio, que é feito em uma lancha e tem duração de quatro horas, permite uma imersão na vida do cetáceo e ainda possibilita a escuta do canto das baleias. O investimento gira em torno de R$ 200. No passo do ecoturismo, também é possível conhecer o primeiro borboletário da Bahia, que é um dos maiores do país. O Asas Mágicas é lar de 17 espécies nativas. No santuário, pode-se testemunhar as quatro fases de evolução do inseto e ver o nascimento das borboletas. Ainda há lagoa e pedalinho. Os ingressos custam R$ 40. A nova paixão nacional no turismo de aventura, as bikes, também possibilitam uma vivência diferenciada do cenário paradisíaco. Para quem tem pouco e muito fôlego, a Bahia Active tem roteiros por todo o litoral.

Borboletário Asas Mágicas permite ao turista interagir com os insetos e testemunhar o nascimento das borboletas. Foto: Adaíra Sene/DP (Borboletário Asas Mágicas permite ao turista interagir com os insetos e testemunhar o nascimento das borboletas. Foto: Adaíra Sene/DP)
Borboletário Asas Mágicas permite ao turista interagir com os insetos e testemunhar o nascimento das borboletas. Foto: Adaíra Sene/DP

“Hoje, podemos dizer que Porto Seguro é um destino certo para todos os públicos. Temos os jovens que buscam diversão, o segmento sol e praia e muitas famílias, que representam 80% dos nossos turistas. A cidade tem uma referência histórica de relevância, somos Patrimônio Cultural, temos praias, ecoturismo, gastronomia, infraestrutura hoteleira, passeios variados e estamos bem localizados. Temos um índice de satisfação altíssimo”, comemorou o secretário de Turismo e Cultura, Richard Alves. Para alavancar o trade, a gestão terá novidades com os segmentos Porto Seguro Família, Pet, Gastronomia e Natureza a partir do segundo semestre.

COMO CHEGAR - 
Porto Seguro recebe, anualmente, 1,5 milhão de turistas, sendo a maioria brasileiros do Sudeste. Entre os estrangeiros, lideram os argentinos e italianos. O Aeroporto Internacional de Porto Seguro reúne voos da TAM, GOL, Passaredo e Azul.

TRANCOSO
Trancoso é reconhecido pelos serviços diferenciados para o público com maior poder de compra. No Centro, o Quadrado guarda casas coloniais e a Igreja de São João Batista dos Índios, erguida de costas para o mar para enganar os navegadores. Em área mais reservada, o Terravista Golf Course é consagrado como um dos campos mais bonitos do mundo e tem o famoso Buraco 14, que desafia jogadores a acertar ultrapassando as falésias em suadas três tacadas. Ainda são oferecidas aulas para quem quer aprender o esporte. O Golf Course fica no Complexo Terravista, que sedia ainda um aeroporto e os condomínios de luxo Club Med e Vista Villas, além do Teatro L'Occitane.

Quadrado guarda casas coloniais e bares badalados. Foto: Adaíra Sene/DP (Quadrado guarda casas coloniais e bares badalados. Foto: Adaíra Sene/DP)
Quadrado guarda casas coloniais e bares badalados. Foto: Adaíra Sene/DP


ARRAIAL D'AJUDA
Parada obrigatória para quem quer desvendar os segredos da gastronomia nacional e internacional, Arraial D’Ajuda fica a cinco minutos de Porto Seguro de balsa, cortando o Rio Bunharém, e a uma hora de carro. A vila tem a rua mais charmosa do país, como é conhecida a Rua do Mucugê, famosa pela diversidade de bares e restaurantes. Lá, também está o Arraial D'Ajuda Eco Parque, o 12º melhor parque aquático do mundo e único da Bahia. Quando o assunto é praia, não se pode deixar de citar as águas cristalinas de areia branca de Pitinga, Mucugê e as falésias de Taípe. Se for em Arraial, não deixe de experimentar as carnes e drinques do Xaxá Grill e Chopperia, na Rua do Mucugê.

Para encher a vista e a barriga, Arraial D'Ajuda é a melhor opção. Foto: Adaíra Sene/DP (Para encher a vista e a barriga, Arraial D'Ajuda é a melhor opção. Foto: Adaíra Sene/DP)
Para encher a vista e a barriga, Arraial D'Ajuda é a melhor opção. Foto: Adaíra Sene/DP


CARAÍVA
A pacata vila de pescadores de Caraíva fica a 70 quilômetros de Porto Seguro e é o típico lugar onde, por sorte nossa, o tempo parou. A cidade é costurada pelo Rio Caraíva, que você terá que enfrentar em canoas remadas por nativos após um longo trajeto em estrada de terra para chegar. É o destino ideal para quem quer fugir das exigências e ruídos das grandes cidades. As praias oferecem privacidade quase total. Passeios de buggy levam à aldeia indígena de Barra Velha e a Ponta de Corumbau. Também dá para aproveitar boias disponibilizadas nas pousadas para descer o rio. Não deixe de fazer uma visita ao Monte Pascoal, primeiro pedaço de terra avistado pelas naus portuguesas ao se aproximarem da, então, Terra de Vera Cruz. 

Vila de pescadores, Caraíva é o ideal para quem quer sossego. Foto: Prefeitura de Porto Seguro/Divulgação (Vila de pescadores, Caraíva é o ideal para quem quer sossego. Foto: Prefeitura de Porto Seguro/Divulgação)
Vila de pescadores, Caraíva é o ideal para quem quer sossego. Foto: Prefeitura de Porto Seguro/Divulgação

* A repórter viajou a convite da Prefeitura de Porto Seguro e do Porto Seguro Convention Bureau

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.










SIGA

Facebook

Google+

Twitter

Rss