Turismo compartilhado Plataforma oferece troca de casas e ajuda a reduzir custos da viagem Site BeLocal Exchange foi lançado em setembro e já tem mais de 300 imóveis disponíveis no Brasil, inclusive no Recife, e no exterior. Economia na hospedagem pode chegar a 50%

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 23/11/2016 09:21 Atualizado em: 23/11/2016 10:34

Para a fundadora Andrea Aguiar, com o dinheiro economizado, os viajantes podem ficar mais tempo e explorar mais de um destino. Foto: Divulgação
Para a fundadora Andrea Aguiar, com o dinheiro economizado, os viajantes podem ficar mais tempo e explorar mais de um destino. Foto: Divulgação

Quando se pensa em viajar, dois gastos podem pesar no orçamento: as passagens aéreas e hospedagem. Porém, é possível amenizar os custos neste segundo item em até 50%. Para isso, basta ter a cabeça aberta para disponibilizar a sua casa em troca de outra no destino da viagem. Essa é a proposta da plataforma BeLocal Exchange, lançada em setembro com objetivo de estimular no Brasil e em outros países do continente uma prática já consolidada em outras regiões, principalmente no exterior: o turismo compartilhado. O sistema possibilita a troca de casa por temporada entre pessoas que querem viajar, com segurança e sem custo. A empresa já tem mais de 300 imóveis registrados, inclusive do Recife, no site www.belocalexchange.com.

A ideia de se hospedar em uma casa ou apartamento garante mais conforto e privacidade, além de não haver custo. A BeLocal Exchange funciona como um clube de associados que disponibilizam suas casas para trocas nas férias ou em feriados prolongados e, segundo Andrea Aguiar, fundadora da plataforma, a redução nos custos com hospedagem pode chegar a 50%. "Com o dinheiro economizado, os viajantes podem até ficar mais tempo e explorar mais de um destino, sem correria e enriquecer os roteiros com opções gastronômicas, culturais e de passeios", diz. Ela ainda afirma que esta é a primeira iniciativa que vai trabalhar diretamente com a troca de casa junto ao público brasileiro e focar no desenvolvimento do negócio na América Latina.

Com dois meses de lançado, o BeLocal Exchange disponibiliza, no Brasil, imóveis no Recife, Rio de Janeiro, Fortaleza, Florianópolis, Pirinópolis, Goiania, Ubatuba, Chapada Diamantina, Porto Alegre e São Paulo. Há ainda opções de imóveis no exterior.

Para a fundadora, a proposta também tem a vantagem de minimizar o impacto ambiental através desta rede social de viajantes. "A BeLocal entende que a troca de casa maximiza o uso de recursos existentes; reutiliza residências que permanecem vazias durante boa parte do ano e contribui para a qualidade de vida sem o impacto ambiental do turismo de massa", afirma Andrea.

A ideia de se hospedar em uma casa ou apartamento garante mais conforto e privacidade. Foto: Divulgação
A ideia de se hospedar em uma casa ou apartamento garante mais conforto e privacidade. Foto: Divulgação

Como funciona
Para fazer uso da plataforma, não é preciso pagar. É necessário fazer um cadastro no site www.belocalexchange.com para entrar no clube de trocas. O site lista as casas disponíveis para troca e um mecanismo de busca permite pesquisar as ofertas por destino. Um sistema de e-mails interno possibilita que os associados combinem todos os detalhes da troca. Somente ao final do acerto é que o associado paga a anuidade para a BeLocal Exchange que dá direito a um número ilimitado de trocas no período.

O ambiente é seguro e os dados pessoais só são fornecidos depois que a troca é combinada entre os dois associados. Além disso, a startup associou-se à Traity, um site espanhol especializado em verificações de identidade online, para checar dados de todos os associados cruzando várias informações. O site tem também um seguro obrigatório para que a troca proporcione ainda mais segurança aos usuários da rede.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.