Abuso UE impõe multa recorde de 4,3 bilhões de euros ao Google por Android A multa constitui um novo recorde depois dos 2,424 bilhões de euros impostos ao Google

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 18/07/2018 17:23 Atualizado em:

Foto: Reprodução/ Pixabay
Foto: Reprodução/ Pixabay
A Comissão Europeia imporá uma multa recorde de cerca de 4,3 bilhões de euros ao gigante americano Google por abuso de posição dominante com seu sistema operacional para smartphones Android - informou nesta quarta-feira (18) à AFP uma fonte próxima ao caso.

A multa, que a comissária europeia Margrethe Vestager deve anunciar às 11h GMT (8h, horário de Brasília), constituiria um novo recorde depois dos 2,424 bilhões de euros impostos ao Google por favorecer seu comparador de preços em seu motor de busca, em detrimento da concorrência.

Veja as cinco maiores multas impostas pela UE por abuso de posição dominante:

1. Google (2018)
Por aproveitar a posição dominante de seu sistema operacional para smartphones e tablets Android, com o objetivo de favorecer seus próprios aplicativos, como seu motor de busca, a Comissão Europeia sanciona a Google em 4,342 bilhões de euros de multa (cerca de 5,046 bilhões de dólares).

2. Google (2017) 
O Executivo comunitário impôs 2,424 bilhões de euros ao Google por favorecer em seu popular buscador seu serviço Google Shopping em detrimento dos rivais. A companhia recorreu da decisão na Justiça europeia em setembro de 2017.

3. Intel (2009)
O fabricante de microprocessadores Intel recebeu uma multa de 1,060 bilhão de euros, depois que a Comissão Europeia o acusou de adotar entre 2002 e 2007 uma estratégia destinada a excluir do mercado seu único real concorrente, a AMD. A Justiça europeia decidiu voltar a examinar o caso em setembro.

4. Qualcomm (2018)  
O gigante americano de componentes eletrônicos Qualcomm recebeu em janeiro uma sanção de 997 milhões de euros por ter subornado a Apple para que usasse apenas seus produtos, e não dos concorrentes, em seus aparelhos iPhones e nos Ipads.

5. Microsoft (2004)
Em 2004, o grupo de informática Microsoft recebeu uma multa de 497 milhões de euros por se negar a fornecer a documentação técnica completa para seus concorrentes para que eles pudessem conceber programas plenamente compatíveis com o sistema operacional Windows.

Também foi acusado de vincular seu leitor multimídia Windows Media Player a esse sistema para superar a concorrência.

Por descumprir seus compromisos firmados com o Executivo comunitário, Bruxelas lhe impôs outra multa de 860 milhões de euros em 2008. No total, as sanções impostas à Microsoft pela Comissão chegam a 2 bilhões de euros.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.