Qualificação Como saber a hora certa para fazer uma pós-graduação? Ganho salarial deve ser avaliado, mas aquisição de conhecimento e relacionamento profissional também são importantes

Publicado em: 20/04/2016 14:14 Atualizado em: 15/05/2018 10:36



Investir ou não em uma pós-graduação costuma ser uma das grandes dúvidas de quem conclui um curso superior. A busca por diferenciais que levem à valorização profissional e melhores salários, fazem recém-formados considerarem as especializações praticamente como uma extensão das graduações.

No entanto, especialistas na área ainda se dividem ao relacionar diretamente a pós-graduação ao ganho salarial, ponderando que outros valores também devem ser avaliados. Um estudo produzido no final de 2015 pela Catho Online mostrou que profissionais com especialização podem receber até 70% a mais no salário. Outro estudo anterior da Fundação Getúlio Vargas mostrou que cada ano cursado na pós resulta em 40% de aumento na renda mensal.

Contudo, os especialistas alertam: só os títulos acadêmicos não são garantia de sucesso na carreira. É o que explica a coordenadora de pós-graduações da Faculdade Integrada de Pernambuco - Facipe, Mônica Queiroz. "O profissional disputado pelo mercado traz outras características que estão além de sua formação educacional, como a facilidade de trabalhar em equipes, comprometimento em cumprir tarefas e horários e a inteligência emocional apresentada nas situações de desafios", disse.

Ainda segundo Mônica Queiroz, antes de pensar em ganhar mais e crescer na carreira, o pós-graduando deve saber a razão de fazer o curso e até onde ele pode levar. "Muitos alunos escolhem a especialização que o mercado pede, mas o grande problema é que, o que as empresas requisitam hoje, pode não ser útil amanhã. Obviamente, uma pós-graduação, seja ela qual for, vai promover conhecimento, relacionamento e geração de network. Se isso está claro pra você e você sabe o motivo de iniciar o curso, então está no caminho certo", salienta.

É o caso de Ana Carolina Ferrão, 36, que atualmente cursa pós em Gestão de Pessoas, na Facipe. Atuando há 11 anos como policial militar, a estudante afirma que a especialização é a melhor maneira para manter-se atualizada, mas ressalta que na sua profissão saber como lidar com pessoas teve um peso maior.

"Diariamente lido com pessoas em situações de estresse, onde ter o controle emocional é essencial para minimizar problemas. Também atuo com subordinados que confiam nas minhas decisões e esperam que eu assuma um posicionamento que inspire confiança. Por isso, escolhi uma especialização em Gestão de Pessoas, para obter suporte e conhecimento necessários para a minha profissão", disse.

Quem busca aperfeiçoar-se na área em que escolheu é a tecnóloga em Estética e Cosmética, Carolina Telles. A estudante de 23 anos faz pós em Estética Aplicada à Saúde do Homem e da Mulher, na Facipe, e se divide entre as aulas da especialização e uma segunda graduação, dessa vez em Fisioterapia, também na Facipe.

Para ela, iniciar uma especialização foi uma forma de aprofundar o conhecimento. "Após o término da graduação, vi a necessidade de buscar mais entendimento dentro da minha profissão. Na pós, os professores repassam o conteúdo sob vários pontos de vista, por abranger um público bem diversificado. Logo após iniciar a especialização, vi as portas do mercado se abrirem e pude colocar em prática o que vinha aprendendo", explicou a aluna.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.