Cibercrime: perigo na internet A quantidade de crimes cibernéticos cresce junto à difusão da era digital no mundo

Luiz Augusto D%u2019Urso

Publicação: 28/04/2018 09:00

Em um estudo realizado, no ano passado, pelo Facebook, existem mais de 3 bilhões e 200 milhões de usuários da rede mundial de computadores no mundo, correspondendo a 44% da população de nosso planeta. Segundo o IBGE, no Brasil já temos mais de 90 milhões de usuários ativos na rede.

Com a ampliação do universo virtual, os criminosos também são atraídos para este ambiente, o que resulta numa migração dos crimes para a internet. Tal fato ocorre, porque os delinquentes notaram um novo mundo – no qual são realizadas as movimentações bancárias online, as compras virtuais, a comunicação digital, o trabalho à distância (home office), dentre outras coisas –, para o cometimento de delitos virtuais.

O cibercrime é um delito cometido de maneira virtual, utilizando a internet como meio, ou envolvendo arquivos ou sistemas digitais/tecnológicos. Esta modalidade de crime conta com um atrativo gigantesco, pois o local não depende da presença física do agente, nem do contato com a vítima, o que gera segurança aos cibercriminosos em questão.

Além disso, existe a dificuldade de se fazer prova e investigar a origem do delito, a materialidade e a autoria, isto porque é necessário localizar a origem da conexão, apreender os dispositivos suspeitos, periciar o material apreendido, e, só após tudo isso, identificar de qual dispositivo foi praticado o crime, e, assim, concluir quem é o responsável pelo ato ilícito.

A variedade dos delitos que podem ser cometidos pela Internet é quase ilimitada, por exemplo: clonagem de cartões de crédito, crimes contra a honra (difamação, calúnia e injúria), incitação e apologia a crimes, venda online de drogas, sequestro de dados e arquivos confidenciais (com utilização do Ransomware), pedofilia, furto de dados de acesso (phishing), dentre muitos outros delitos.

O crescimento e a quantidade de delitos cometidos na internet são verificados na “Central de Denúncia Online de Crimes Cibernéticos” da Safernet, onde é possível observar que, em 11 anos, de 2006 a 2017, foram recebidas mais de 3 milhões e 800 mil denúncias anônimas, envolvendo mais de 668 mil páginas, de 98 países, que supostamente estão hospedando conteúdo ilícito ou são páginas nas quais ocorre a prática de crimes.

Conclui-se que hoje a internet é um ambiente perigoso, necessitando, de uma atenção redobrada em sua utilização, na tentativa de minimizar os números das vítimas de cibercrimes (que atualmente são cometidos de forma internacional, recorrente e quase irrestrita), e também para não nos tornarmos vítimas da nossa própria exposição virtual.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.