Como funciona um leilão Em época de crise, pessoas físicas e jurídicas podem colocar seus bens para arremate

Publicação: 01/07/2017 03:00

Uma saída para repassar alguns bens de difícil venda é através de leilões. Os leiloeiros estão aptos a vender desde patrimônios móveis como veículos, máquinas, equipamentos e embarcações até pertences imóveis como casas e apartamentos.

Para realizar o procedimento, primeiro o interessado deve escolher uma empresa para realizar o leilão. É necessário realizar, junto à companhia responsável, a avaliação e combinar o valor mínimo para arremate do bem, além do cadastro completo e verificação de documentação necessária.

Após todas as burocracias realizadas, o patrimônio deve ser liberado para leilão e estipulado um dia para visitação dos interessados, além do preço inicial. É preciso determinar também se a venda será realizada por foto ou presencialmente.

No dia de dar os lances, serão lidas pelo leiloeiro as condições de venda descritas no catálogo. Em seguida os lotes em leilão serão anunciados um a um. A empresa pode programar mais de uma venda para o mesmo dia.

Pessoas físicas e jurídicas podem participar de arremates, tanto adquirindo quanto oferecendo produtos. A prática de vendas por pessoas físicas vem ganhando destaque e cada vez mais empresas estão abrindo oportunidade para oferecer bens pessoais.

A Coliseum Leilões é uma delas, como explica o diretor da empresa José Alberto Venceslau. “Nossa empresa se especializou em leiloar bens de bancos e empresas públicas e privadas. Mas sempre fomos procurados por pessoas físicas”, comenta.

O cenário de crise foi o que impulsionou a companhia a seguir por outras alternativas. “Devido às dificuldades que estamos enfrentando no país, criamos um departamento para atender as pessoas físicas”, comenta o diretor.

A expectativa é que com o aumento da procura de pessoas que precisam se desfazer de seus bens para sobreviver à crise, o mercado de leilões possa encontrar nesse nicho um bom público. “Entendemos que será bastante movimentado e lucrativo para todos os envolvidos, principalmente porque temos a venda online, no qual temos aproximadamente vinte mil clientes cadastrados”, conclui Venceslau.

A prática da compra online atrai cada vez mais pessoas, já que existe a comodidade de fazer compras, apenas acessando o computador.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.