Ajude-me com a previdência Consultoria pode ajudar a contribuintes do INSS a maximizar seus benefícios agilizando os processos de forma mais eficaz

Publicação: 17/09/2016 03:00

Marcela: serviço é ideal para quem é leigo e tem dificuldade de resolver as questões  (Luiz Fernando/divulgação )
Marcela: serviço é ideal para quem é leigo e tem dificuldade de resolver as questões

Há quem acredite que o termo “previdência” remete apenas ao idoso. No entanto, o direito previdenciário vai além disso. Ele possui caráter eminentemente social, visando garantir os direitos básicos dos cidadãos no que toca à assistência social e à previdência social quanto aos quesitos idade, morte e doença. Para auxiliar os beneficiados, surgem as empresas especializadas no assunto oferecendo consultoria. Mesmo que, hoje, seja mais fácil garantir direitos do que no passado, uma má (ou falta de) orientação pode resultar em danos fnanceiros irrecuperáveis.

O atendimento à assistência social engloba basicamente o direito ao benefício de prestação continuada denominado Amparo Social ao Deficiente ou ao Idoso, contemplado na LOAS (Lei Orgânica da Assistência Social). Já a previdência social se refere aos fatos inerentes ao histórico de contribuições do trabalhador, gerando direitos à aposentadoria, nos casos de ocorrência dos eventos idade e tempo de contribuição mínimos, pensão por morte nos casos de falecimento e benefícios por incapacidade, como o próprio nome sugere.

Segundo a consultora em previdência e sócia da consultoria Prevplan, a advogada Marcela Raposo, contar com os serviços de uma assessoria previdenciária agiliza o processo de garantia de direitos. “O contribuinte, por exemplo, pode ser facilmente beneficiado se ele for bem assessorado. Esse tipo de serviço é ideal para quem é leigo e tem dificuldade de resolver situações burocráticas”, pontua Raposo.

O aposentado por tempo de serviço Humberto Macedo contou com uma consultoria especializada para garantir seu direito. “Fiquei com receio de não conseguir me aposentar. Sabe como é nosso sistema, né? Então preferi não arriscar e paguei para me ajudarem com isso”, comenta Macedo, que trabalhou durante 30 anos com soda caústica.

Todo empregado que trabalha com insalubridade ou periculosidade deve receber no fim do contrato de trabalho o laudo técnico ou PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário) atestando o ambiente hostil laboral. Caso este laudo possua alguma falha, o trabalhador pode ficar sem o direito. “Mostrei ao meu consultor se estava tudo em ordem. Após ele verificar que o laudo estava correto, mandou eu dar entrada no benefício”, conta o aposentado.

Expansão
Visando o público previdenciário, a Prevplan expandiu sua marca para mais duas cidades: Campinas (SP) e João Pessoa (PB). Em novembro vamos para Brasília. De acordo com Marcela, a necessidade de expandir a marca foi percebida a partir da procura do serviço nesssas regiões. “A demanda aumentou após nossos clientes nos indicarem para seus amigos. Vimos que esse segmento ainda é pouco explorado e decidimos ampliar o negócio”.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.