Batendo o martelo na crise Comprar um carro em leilão pode ser uma boa alternativa, mas o consumidor precisa ficar atento a alguns aspectos para não correr riscos

Publicação: 23/07/2016 03:00

O tão sonhado carro 0km tem ficado cada vez mais distante devido a crise pela qual passa o país. Optar por um seminovo é a saída pra quem não dispensa o conforto das quatro rodas. Mas um mercado que está crescendo e promete maior economia é o de leilão de automóveis. Com uma promessa de economia de cerca de 30% em relação à tabela Fipe e até 50% do preço de mercado, os arremates estão sendo feitos cada vez mais por pessoas comuns. Antes, quem dominava o mercado eram apenas empresas especializadas em revendas.

O gerente da Coliseum Leilões, José Almeida, explica quais os principais itens checados em um carro de leilão. “Carroceria, motor e ar-condicionado são os elementos mais vistoriados antes da decisão de compra”, Almeida conta ainda que na Coliseum, cerca de 60% das compras são feitas para empresas. “O número de clientes físicos vem aumentando bastante. Na empresa, cerca de 40% das compras são destinadas já aos consumidores finais”, comenta.

Custos
Mas, antes de bater o martelo, o consumidor precisa ficar atento a alguns aspectos. Existe a diminuição no preço dos veículos para poder compensar o risco que o comprador corre. O carro é vendido nas condições que é apresentado e não tem garantia. Ele pode apresentar problemas mecânicos e, neste caso, o conserto fica por conta do comprador.

O preço baixo é convidativo, mas o interessado deverá arcar ainda com os custos de documentação e eventual transporte do veículo. A importância de ler o descritivo da venda no edital do leilão se mostra na hora de saber quanto vai gastar. Lá está descrito se existe alguma multa ou imposto atrasado. Também é importante comparecer à vistoria física, realizada antes do leilão para avaliar o estado do modelo. “No dia da visita, o interessado pode levar um mecânico de confiança para fazer alguns testes. Aqui na Coliseum nós também disponibilizamos alguns carros para testes e fazemos uma apresentação dos modelos”, explica José Almeida.

Na hora de chegar ao local onde irá acontecer o leilão é preciso estar atento à documentação necessária. “O interessado precisa comparecer com documento de identificação e o cheque para fazer o calção. Após o arremate, o comprador tem até cinco dias úteis para finalizar a compra”, explica.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.