Situação Câmara vota hoje pedido de impechment do prefeito de Camaragibe

Por: Cláudia Eloi - Diario de Pernambuco

Publicado em: 26/02/2019 08:20 Atualizado em:

Foto: TV/Globo/Reprodução
Foto: TV/Globo/Reprodução
A Câmara de Vereadores de Camaragibe deve ficar pequena para quem vai acompanhar hoje, a partir das 9h, a discussão sobre o pedido de impeachment do prefeito da cidade, Demóstenes Meira (PTB), protocolado na segunda-feira (25) pelos vereadores de oposição. A iniciativa de cassar o mandato do petebista ocorreu após um áudio vazado em que o gestor da cidade exigiu que os cargos comissionados participassem de um bloco carnavalesco em que sua noiva, a secretária de Assistência Social do município, Taty Dantas, foi uma das atrações.

Para atrair a atenção dos moradores e convidá-los para acompanhar o voto de cada vereador da cidade na sessão plenária, a bancada de oposição aproveitou o rápido e amplo alcance das redes sociais, convocando pelo whatsApp a população. “Atenção Camaragibe, chegou a sua hora, chegou a sua vez de dizer não a este desgoverno que se instalou em nossa cidade. Você que é contra o que está acontecendo em Camaragibe, que reclama da situação crítica que atravessa nossa cidade, nesta terça-feira, na Câmara será instaurado o pedido de impeachment do prefeito Meira. Participe, faça valer o seu direito cobrando de seus representantes o papel do qual foram eleitos para fiscalizar o interesse da população. Compartilhe esta mensagem com todos que estão insatisfeitos. Compartilhem”, informou o áudio.

Por telefone, o vereador Paulo André (PSD) afirmou ser oposição ao prefeito e já adiantou seu voto. “Até hoje (ontem) nada foi protocolado na Câmara. Só se for colocado na hora amanhã (hoje), não sei como votam os outros vereadores. Eu voto com o pedido de impeachment. Tem que se analisar as denúncias e o jurídico da Câmara dar parecer”, destacou.

O vereador da base de apoio do prefeito, Severino Gomes (DEM), conhecido por Cabeça, não quis adiantar o seu voto, mas deu pistas de como será sua posição. “Quem me elegeu foi o povo. Não foi o prefeito. O que for melhor para o povo eu sou a favor. O meu prefeito (Jorge Alexandre) que perdeu a eleição. Só amanhã (hoje) digo meu voto”, opinou.

Aliado do prefeito, o vereador Hélio Albino (PDT) declarou não existir base legal para pedir o impeachment de Demóstenes Meira. “Todo mundo tem o direito de se defender. Vamos chamar o prefeito para ele se explicar e vamos estudar o caso. Está cedo para um pedido de impeachment”, argumentou.

Diante das denúncias envolvendo o gestor da cidade, o Ministério Público (MPPE) ajuizou, na semana passada, uma ação civil pública de improbidade administrativa contra o prefeito, sua noiva e o secretário de Educação do município, que é presidente do bloco Canário Elétrico, onde Taty Dantas se apresentou. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.