bolsa de colostomia Demora na cirurgia de Bolsonaro foi por conta de aderências, dizem interlocutores

Por: AE

Publicado em: 28/01/2019 16:31 Atualizado em:

Foto: Twitter/Reprodução
Foto: Twitter/Reprodução
Interlocutores do presidente Jair Bolsonaro justificam que a demora na cirurgia se deveu, principalmente, por conta de aderências existentes na região abdominal, detectadas durante a cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia. 

Assessores palacianos ressaltam que "não houve intercorrências" durante a cirurgia e que, neste tipo de procedimento, "é normal" que ocorram atrasos.

De acordo com estas fontes, embora Bolsonaro tenha ido para o centro cirúrgico por volta das 6h30, ele só foi anestesiado às 8h15, com a cirurgia se iniciando logo depois.

A operação acabou por volta das 15h30. Bolsonaro ainda permanece no centro cirúrgico e o porta-voz do Planalto, general Rêgo Barros, dará uma entrevista coletiva às 17 horas, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.