legislativo PDT indica apoio a Rodrigo Maia na eleição da Câmara Em conversa com o Diario, presidente do partido, Carlos Lupi, afirmou que a decisão foi por "ampla maioria"

Por: José Matheus Santos

Publicado em: 12/01/2019 15:36 Atualizado em:

A bancada de deputados federais eleitos do PDT indicou neste sábado (12), em reunião no Rio de Janeiro, apoio à reeleição do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). A informação foi confirmada pelo presidente do PDT, Carlos Lupi, em conversa com a reportagem do Diario. O pedetista também enfatizou que a decisão final se dará após conversas com lideranças do PCdoB e do PSB, que vão compor bloco parlamentar no Parlamento a partir de fevereiro.

“A ampla maioria dos nossos deputados decidiu indicar apoio à reeleição dele (Maia). É uma vontade soberana da maioria. Na semana que vem, vamos ter uma reunião com PSB e PCdoB para ver se conseguiremos uma decisão final em comum, mas o PSB já deixou claro que não quer Maia”, disse Lupi ao Diario. 

O candidato à Presidência pelo PDT nas eleições do ano passado, o ex-ministro Ciro Gomes, participou das discussões da Executiva Nacional da sigla neste sábado (12). “Ele disse que gostaria de seguir e respeitar a vontade da maioria dos deputados eleitos e reeleitos. Também colocou que é importante que haja independência do Legislativo, o que é mais importante, além de o candidato escolhido ter o compromisso de respeitar a oposição”, pontuou Carlos Lupi. 

Dois deputados do PDT se elegeram em Pernambuco: Wolney Queiroz, reeleito, não estava na reunião no Rio de Janeiro, e Túlio Gadelha, que não respondeu à reportagem até o momento. 

O apoio do PDT, caso seja ratificado na terça-feira (15), confirmará o favoritismo de Rodrigo Maia na disputa. Até agora, o presidente da Câmara tem aliança com 12 partidos para a tentativa de reeleição: PSL (52 deputados), PSD (34), PR (33), PRB (30), PSDB (29), DEM (29), Solidariedade (13), Podemos (11), PPS (8), PROS (8), PSC (8) e Avante (7). O PDT terá 28 deputados a partir de fevereiro. Se todos os parlamentares seguirem as orientações partidárias, o número de votos de Maia chegaria a 290. Para vencer no 1º turno, são necessários 257 votos na Casa. Como o voto é fechado, não há essa garantia. 

A momentânea chancela do PDT à candidatura de Maia enfraquece o bloco alternativo que estava sendo articulado pelo deputado Arthur Lira (PP-AL) e por Fábio Ramalho (MDB-MG). Ambos devem ser candidatos e esperavam que o PDT estivesse na formação ao lado de PSB, PCdoB, PT, PSC e PTB. O PSOL já lançou a candidatura de Marcelo Freixo (RJ). 





Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.