Sem palanques Paulo Câmara evita citar Lula ou Bolsonaro no primeiro ato No discurso em Custódia e na visita a Sertânia, Paulo Câmara deu prioridade ao discurso de campanha sem citar o aliado petista ou o novo presidente

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/01/2019 20:22 Atualizado em: 04/01/2019 20:46

Fotos: Hélia Scheppa/SEI
Fotos: Hélia Scheppa/SEI

O primeiro ato de governo de Paulo Câmara priorizou uma região que convive diariamente com a seca. O município de Custódia, a 335 quilômetros do Recife, enfrenta atualmente uma situação de pré-colapso de água, o que prejudica quase 40 mil habitantes sertanejos. A intenção do governo estadual é que o Sistema Adutor de Custódia, a ser implantado a partir do Reservatório de Moxotó, em Sertânia, regularize o fornecimento de água nas residências e as livre dos carros-pipa, que também pesa na conta de qualquer assalariado, quando a gestão federal ou estadual não os custeia. Segundo o governo, a obra conta com um aporte de R$ 30 milhões do Tesouro Estadual, consiste no aproveitamento da captação no canal de aproximação construído na saída do Reservatório de Moxotó, da Transposição do Rio São Francisco, além da estrutura da Estação Elevatória (EB-01) da Adutora de Moxotó, na qual serão implantadas as bombas do novo Sistema Adutor.
Veja a matéria principal: Água e emprego no primeiro ato do governo Paulo Câmara
Paulo Câmara não mencionou o nome de Lula, que iniciou as obras de transposição. Também não foram citados por ele Dilma Rousseff (PT), Michel Temer (MDB) ou do novo presidente, que precisa concluir as obras da transposição de todo o Nordeste.

A Estação Elevatória irá bombear o reforço de água para Custódia, no total de 85 litros por segundo, através de uma tubulação de ferro fundido com diâmetro de 400 mm até a Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade. De acordo com o governo, toda a adutora será constituída por tubos de ferro fundido, cuja extensão total é de 23,20 km, sendo implantada às margens da BR-232 até a sede do município. Para isso, também deverá ser ampliada a capacidade da ETA para tratamento de até 85 l/s, além da implantação de trechos curtos de Adutoras de Água Tratada que alimentarão os Reservatórios existentes.

A expectativa é de que as obras sejam concluídas em 12 meses.
“Esperamos, no final do ano, voltar aqui e poder inaugurar essa obra, que vai mudar radicalmente o abastecimento de Custódia. O nosso foco é ter água todos os dias. Com certeza, Custódia não vai mais se lembrar da situação que passa hoje”, explicou o presidente da Compesa, Roberto Tavares.

Rio da Barra - Além de Custódia, o governador também visitou a Estação Elevatória Rio da Barra, no eixo leste da Transposição do Rio São Francisco, em Sertânia. A estrutura, que integra a Adutora do Moxotó, servirá como ponto de captação e bombeamento de água do novo Sistema de Abastecimento de Água Rio da Barra, na Zona Rural da cidade.

Nesse segundo caso, o equipamento contará com um aporte de R$ 6 milhões, beneficiando aproximadamente 4 mil habitantes. O prazo dado para a conclusão é menor, de 10 meses. A obra contempla a instalação de uma captação no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, com capacidade de 15 litros por segundo; instalação de uma Estação de Tratamento de Água, duas Estações Elevatórias, dois Reservatórios com capacidade de 100 m³, cada; e implantação de 31 km de Sistema Adutor e Rede de Distribuição. Com a realização da obra, a população de todas as localidades citadas contará com fornecimento de água através de tubulações diretamente em suas residências. “Essa obra vai ficar para a história. Não só pelo fato de ser um dos maiores sonhos da cidade, mas também por ser um gesto nobre de Paulo Câmara. É assim que ele inicia esse novo governo, reorganizando a casa, trazendo todo o seu secretariado para conhecer Custódia e seu povo acolhedor”, disse o prefeito de Custódia, Manuca de Zé do Povo (PSD).



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.