Cargos 'Nós vamos libertar o Itamaraty', diz novo chanceler em cerimônia de posse Segundo Ernesto Araújo, os diplomatas têm se preocupado em agradar outros diplomatas, e não a população

Por: Correio Braziliense

Por: Paulo Silva Pinto - Correio Braziliense

Publicado em: 02/01/2019 21:44 Atualizado em:

Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O novo chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, recebeu o cargo do antecessor, Aloysio Nunes Ferreira, neste final de tarde no Itamaraty com um discurso pouco usual. Ele citou São João, Padre Anchieta, Renato Russo, Raul Seixas, Miguel de Cervantes e Olavo de Carvalho.

"Conheçam a verdade, e a verdade vos libertará", afirmou, traduzindo a frase que acabara de pronunciar em grego do Evangelho de São João, logo na abertura de seu pronunciamento. "O presidente Bolsonaro está libertando o Brasil, e nós vamos libertar o Itamaraty", disse em seguida.

Na avaliação de Araújo, os diplomatas têm se preocupado com ações que agradam a outros diplomatas, e não à população de forma ampla. Disse que se acreditava até o passado recente que o mundo caminhava para o socialismo, mas que isso se provou um erro.

Aloysio Nunes Ferreira, que retoma o mandato de senador pelo PSDB de São Paulo por mais algumas semanas, já que não disputou a reeleição, fez um discurso de 29 minutos, dois a menos do que o de Araújo.

Em tom cuidadosamente ameno, passou vários recados à nova administração, incluindo a importância das relações com países árabes, com a valorização do meio ambiente e do multilateralismo. Ao falar do valor dos quadros do Itamaraty, disse que não se ppde promover "caça às bruxas entre governos ". Foi mais aplaudido do que Araújo viria a ser 30 minutos mais tarde.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.