Cerimonia Ao empossar ministro, Bolsonaro se recusa a falar nome de FHC Situação aconteceu na posse do ministro da Defesa Fernando Azevedo e Silva

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 02/01/2019 18:15 Atualizado em: 02/01/2019 19:44

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil
Ao falar na cerimônia de posse do ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, o presidente Jair Bolsonaro criticou, nesta quarta-feira, medidas relacionadas às Forças Armadas tomadas durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, como a reestruturação da remuneração dos militares e a decisão de nomear ministros civis para comandar os militares, por meio do Ministério da Defesa.

Bolsonaro até mesmo se recusou a citar o nome do antecessor tucano. Após agradecer benefícios concedidos aos militares pelos governos de José Sarney, Fernando Collor e Itamar Franco, Bolsonaro disse: "Depois, veio outro governo, que vocês sabem qual foi". 
 
"Povo deseja hierarquia" 
Bolsonaro também não mencionou os presidentes petistas, Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva e Lula, e afirmou que a situação dos militares foi piorando com o tempo. No entanto, disse, Bolsonaro, a população continuou apoiando as Forças Armadas. "Minha eleição mostra que o povo brasileiro deseja hierarquia, respeito, ordem e progresso", disse.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.