Paulo Câmara enfrenta protestos pelo pedido de demissão de Áureo Cisneiro Manifestantes tiveram acesso à Assembleia Legislativa bloqueado

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 01/01/2019 19:57 Atualizado em: 01/01/2019 20:06

Foto: Aline Moura/Diario de Pernambuco
Foto: Aline Moura/Diario de Pernambuco

Durante a posse do governador Paulo Câmara (PSB), na Assembleia Legislativa, um grupo de manifestantes teve o acesso ao local bloqueado por policiais porque queria protestar contra o pedido de demissão do presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco, Áureo Cisneiro. O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, pediu a demissão do sindicalista no último sábado (29), por meio do Diario Oficial. O governador ainda não aprovou a demissão e Áureo espera que ele não prossiga com o que considera perseguição política.

Áureo Cisneiro falou sobre a contradição de Paulo Câmara ter o apoio do PT, que nasceu no movimento sindical, e ao mesmo tempo tentar intimidá-lo por discordar de críticas. “Não tem cabimento que eu sofra um processo administrativo por atividade sindical”, declarou. O movimento contou com a presença de Dani Portela, que se candidatou ao governo do estado na eleição passada pelo PSol, ficando em terceiro lugar.

Para Cisneiro, a punição está em andamento por ele atuar como voz dos policiais civis, por ter feito denúncia de delegacias fechadas e de condições precárias do Instituto de Medicina Legal. Ele revelou que um dos profissionais do IML ficou cego, após uma mosca varejeira pousar no seu olho, durante uma necrópsia. “Você mostrar as delegacias que estavam fechadas é um dever nosso do sindicato, para os policiais civis terem voz. Temos que mostrar onde o cala aperta. Esse governo que está ai tem partidos ligados a ele que foram criados no movimento sindical”, declarou. “Esse governo não aceita críticas”, declarou, apontando a contradição do discurso feito na Assembleia por Paulo Câmara, que disse ser aberto ao debate e ao contraditório.

Policiais do Choque barraram avanço dos protestos. Foto: Aline Moura/Diario de Pernambuco
Policiais do Choque barraram avanço dos protestos. Foto: Aline Moura/Diario de Pernambuco

Questionado sobre as denuncias de policiais civis sobre perseguição política contra Áureo Cisneiro, o governador afirmou tratar-se de uma questão para ser resolvida pela Secretaria de Defesa Social (SDS).



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.