Solenidade Posse de Paulo Câmara será às 15h neste 1º de janeiro O PSB assume o quarto mandato consecutivo à frente do Palácio do Campo das Princesas

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 31/12/2018 11:40 Atualizado em: 31/12/2018 15:47

Foto: Assembleia Legislativa
Foto: Assembleia Legislativa

Reeleito para o segundo mandato no dia 7 de outubro, o governador Paulo Câmara (PSB) participa nesta terça-feira (1), da cerimônia de posse, que se realizará, exclusivamente, na Assembleia Legislativa. O evento está programado para as 15h, quase no mesmo horário da solenidade do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que será às 14h, em Brasília. A vice, Luciana Santos (PCdoB), também participa da solenidade para assumir o cargo, sendo a primeira mulher pernambucana a assumir esse desafio. Pela primeira vez, a posse será realizada no edifício Miguel Arraes de Alencar, no prédio novo do Poder Legislativo, na Rua da União, no auditório intitulado Eduardo Campos. Não haverá evento em frente ao Palácio do Campo das Princesas, no dia 1º, como era de praxe.

Embora o governador tenha programado o ato quase no mesmo horário ao de Bolsonaro, em Brasília – uma saída elegante para não ir ao Palácio do Planalto – ele fará, novamente, um discurso em defesa do desmonte dos palanques eleitorais. Não interessa ao governador ir para o confronto com o novo presidente, conhecido pelo seu pavio curto e ameaça aos adversários. Paulo Câmara vai se esforçar para manter uma relação institucional e espera o mesmo do chefe da Nação.
O que Nilson Mota pensa do futuro governo?
A cerimônia de Paulo será aberta pelo presidente da Alepe, deputado Eriberto Medeiros (PP), único nome cotado para assumir a presidência da Casa. De acordo com informações da Assembleia, o parlamentar receberá a declaração pública de bens do governador e da vice-governadora. E, logo em seguida, Paulo Câmara fará o discurso de posse, aquele que vai nortear a sua segunda gestão.

De acordo com informações de bastidores, Paulo Câmara também mencionará as prioridades de sua gestão, como concluir obras ainda em andamento e azeitar a máquina para atrair investimentos do governo federal. Existe uma preocupação do governo por não existir um nome natural de Pernambuco que tenha conseguido se aproximar do núcleo duro de Bolsonaro. Mas Pernambuco depende de parcerias e vai se esforçar para deixar as divergências no campo político, nunca administrativo.

A posse será diante da Mesa Diretora. Em seguida, o primeiro-secretário da Assembleia, deputado Diogo Moraes (PSB), fará a leitura do Termo de Posse, que será assinado pelo governador, pela vice e pelas autoridades que irão compor a Executiva – entre elas, os presidentes do Tribunal de Justiça e do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

Paulo Câmara reelegeu-se com o apoio fundamental do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que permanece preso em Curitiba (PR), porém a liderança mais popular no Nordeste. O socialista conquistou 1.918.219 votos – o correspondente a 50,7% do total apurado, derrotando o senador Armando Monteiro Neto (PTB) pela segunda vez. Armando teve o palanque rotulado como o da “turma de Temer”, por estar ao lado de nomes com Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM), ambos decisivos no impeachment de Dilma Rousseff e ex-ministros de Michel Temer (MDB).

Com a vitória de Paulo Câmara, o PSB assume o quarto mandato consecutivo à frente do Palácio do Campo das Princesas. Governa desde 2007, com a vitória de Eduardo Campos, que faleceu num acidente de avião.

O governador reeleito é natural do Recife, tem 46 anos, sendo formado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco. Ele tem especialização em Contabilidade e Controladoria Governamental e mestrado em Gestão Pública, tendo passado pelas pastas de Administração, Turismo e Fazenda, no governo Eduardo Campos. Paulo Câmara é casado com Ana Luiza Câmara, com quem tem duas filhas: Clara e Helena.

No dia 2 de janeiro, o governador quebrará outra tradição. A posse do novo secretariado será às 16h, nos jardins do Campo das Princesas. Antes, o evento era realizado no Palácio das Bandeiras.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.