Senado Flávio Bolsonaro diz que PSL não apoiará Calheiros na presidência do Senado Segundo o futuro senador, apoio ao alagoano representaria aceitação da velha política

Por: Lucas Valença

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 28/11/2018 15:18 Atualizado em:

Foto: Fábio Teixeira/ AFP
Foto: Fábio Teixeira/ AFP
O futuro senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente eleito, afirmou que o governo e o PSL não apoiarão o senador Renan Calheiros (MDB-AL) para a presidência da casa legislativa. Para o então deputado estadual do Rio de Janeiro, um eventual apoio ao alagoano representaria a aceitação da velha política, rejeitada, segundo ele, nas urnas. A declaração foi dada ao chegar no Centro Cultural Banco do Brasil, onde acontece as atividades da transição de governo.

Flávio explica que o governo ainda não decidiu o nome que irá apoiar na disputa da mesa diretora do Senado, no entanto, ressaltou que, no bastidor, conversas já estão sendo feitas com diversos parlamentares. “O Renan é uma pessoa que já está a bastante tempo no senado, foi reeleito, e então tem que ter o diálogo, mas certamente para a presidência da casa, não é o que a população espera. A gente precisa dar um norte para o senado que seja consonante com o que o brasileiro disse nessas eleições, então certamente o nosso apoio não será o Renan”, enfatizou.

Ele também confirmou que a exigência está posta. O nome do escolhido terá de ser “ficha limpa” para ter o apoio do governo. “O mais importante é que tenha uma simbologia de uma sincronia das mudanças que o Brasil manifestou querer nessas eleições”, declarou.

Previdência

Segundo o futuro senador, a reforma de previdência só voltará a tramitar no Legislativo após a posse dos novos parlamentares. Para ele, a dificuldade deste ano já ficou evidente, mas que o próximo Congresso vai “estar muito mais sensível” a aprovar a matéria. “Até porque já está madura perante a opinião pública. Certamente será muito menos difícil na próxima legislatura”, disse.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.