Desabafo Filho de Wilson Witzel diz que "perdeu o pai" após atos de campanha Com 24 anos e homem trans, Erick Witzel não vê espaço para pessoas como ele no governo de seu progenitor

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 09/11/2018 14:25 Atualizado em:

Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram
Com 24 anos, homem trans e fomado em gastronomia, Erick Witzel afirma que sua vida foi modificada após a campanha eleitoral do seu pai, Wilson Witzel, governador eleito pelo Rio de Janeiro.

Em entrevista à UOL, Erick comentou que definia sua relação com Witzel como fria e distante, mas que nunca houve qualquer tipo de agressão ou desrespeito, nem mesmo quando começou os tratamentos hormonais. Porém, a vida do jovem virou de cabeça pra baixo quando Wilson contou em entrevista que tinha um filho transgênero. 

Desde a revelação, Erick passou a viver com ataques virtuais e fake news. "Eu não paro de receber ofensas e ameças no meu Instagram, Muitas vezes de perfis falsos que se dizem eleitores do meu pai, que falam que eu sou a vergonha da família, me dizem para voltar para o armário, dizem que vão rir quando eu for para o caixão" disse a UOL. 

Enquanto sofria as investidas, também viu as propostas de governo do seu progenitor ficando mais rígidas. Na época candidato, Witzel alavancou de 1% para os 59% em pesquisas após defender, por exemplo, o "abate" de criminosos. Mas Erick chegou ao seu limite, e desistiu de chamar Witzel de pai, quando, em ato de campanha pró-Wilson, uma placa em homenagem a Marielle Franco foi destruída. "Eu perdi meu pai. Qualquer resto de humanidade dele se perdeu ali" comentou.

Erick agora se agarra no apoio que recebe da mãe e irmãos, além das pessoas trans - e os familiares destas - que veem nele "um exemplo de luta". Ele lamenta não ver espaço para pessoas transgênero durante a dirigência do seu progenitor, mas afirma que será resistência ao governo do pai. Mesmo que rejeite se filiar a qualquer partido político e se candidatar futuramente, o jovem diz que continuará sua militância nas ruas e nas redes sociais.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.