sanções EUA defendem liberação para países importarem do Irã apesar de sanções Em entrevista à rede de TV Fox News, Pompeo se recusou a revelar quais países receberam permissão dos Estados Unidos para continuar importando petróleo do Irã mesmo com a imposição de sanções ao país

Por: AE

Publicado em: 04/11/2018 14:34 Atualizado em:

O Secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo está defendendo o governo do presidente Donald Trump das críticas quanto a reimposição de sanções contra o Irã. Conservadores tem argumentado que é preciso fazer mais para isolar o país do Oriente Médio, mas Pompeo defendeu o chamados waiver (uma espécie de "perdão" para o descumprimento das sanções) para alguns países que importam petróleo iraniano.

Em entrevista à rede de TV Fox News, Pompeo se recusou a revelar quais países receberam permissão dos Estados Unidos para continuar importando petróleo do Irã mesmo com a imposição de sanções ao país. Ele afirmou que oito países não identificados "precisam de mais tempo para zerar (as importações)". Ele não descartou a possibilidade de que o governo Trump mantenha esse waiver por mais de seis meses. 

Pompeo afirmou que, apesar do waiver, "as sanções já tiveram enorme impacto". Ele acrescentou que a política de Trump de pressionar ao máximo o Irã "estará totalmente em funcionamento amanhã". 

Trump retirou os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã este ano, dando início à imposição de sanções que passam a vigorar na segunda-feira. Pompeo afirmou que as medidas foram desenhadas para "alterar o comportamento do regime" iraniano, especialmente no que diz respeito ao apoio a grupos terroristas como o Hezbollah. 

Falando à CBS, Pompeo afirmou que estava confiante de que o Irã não iria reiniciar um programa nuclear após os Estados Unidos se retirarem do acordo. Pompeo e o Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, devem dar mais detalhes sobre as sanções na segunda-feira. 

Coreia do Norte 
Na entrevista à Fox News, Pompeo falou ainda sobre a Coreia do Norte. Ele não se mostrou preocupado com a advertência do país asiático sobre a possível reafirmação de uma política de fortalecimento do arsenal nuclear caso os Estados Unidos não retirem sanções econômicas. 

"Já ouvimos isso conforme atuamos nas negociações" pela desnuclearização, disse Pompeo. Ele planeja se encontrar na semana que vem com uma autoridade norte-coreana. 

Pompeo afirmou que há tensão no ar, mas que as autoridades norte-americanas "sabem com quem estão negociando". Ele afirmou que Trump deixou claro aos norte-coreanos que não haverá alívio econômico sem que o objetivo final seja alcançado. Fonte: Associated Press.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.