novo ministro Moro diz adeus à Lava Jato e nem vai interrogar Lula no dia 14 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria interrogado no processo sobre o sítio de Atibaia (SP)

Por: AE

Publicado em: 01/11/2018 14:02 Atualizado em:

Foto: Ana Raíssa / Itamar Aguiar/EM
Foto: Ana Raíssa / Itamar Aguiar/EM
Em nota oficial, o juiz federal Sérgio Moro afirma que aceitou nesta quinta-feira (1º) o convite para assumir o superministério da Justiça de Jair Bolsonaro (PSL). No texto, o magistrado diz que a Operação Lava Jato "seguirá em Curitiba com os valorosos juízes locais'

Na nota oficial, Moro disse que já está deixando a Lava Jato. Como aceitou o convite do presidente eleito para assumir o ministério, Moro comunicou publicamente que "para evitar controvérsias desnecessárias, desde logo afasta-se de novas audiências". 

No próximo dia 14, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva iria ser interrogado por Moro no processo sobre o sítio de Atibaia (SP) - o petista é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro. A audiência, agora, deverá ser realizada pela substituta de Moro, a juíza Gabriela Hardt.

Moro conduziu a Lava Jato desde o início da operação, deflagrada em sua fase ostensiva em março de 2014, levando à condenação de políticos, empreiteiros, doleiros e administradores da Petrobras.

Sobre o convite de Bolsonaro, que aceitou após reunião na manhã desta quinta, Moro anotou. "Fui convidado pelo sr. presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justiça e da Segurança Pública na próxima gestão. Após reunião pessoal na qual foram discutidas politicas para a pasta, aceitei o honrado convite."

Moro deixa a toga após mais de duas décadas de carreira, mas se dizendo entristecido. "Fiz com certo pesar pois terei que abandonar 22 anos de magistratura."



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.