Petrobras Roberto Castello Branco deve presidir Petrobras no governo Bolsonaro Castello Branco foi membro do Conselho de Administração e do Comitê de Auditoria da estatal entre 2015 e 2016, quando Graça Foster era a principal executiva da companhia e Dilma Rousseff presidente da República

Por: Paulo Silva Pinto - Enviado Especial

Publicado em: 30/10/2018 17:32 Atualizado em:

Foto: Reprodução / Flickr
Foto: Reprodução / Flickr

O professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) Roberto Castello Branco é o nome mais cotado para comandar a Petrobras. A indicação foi discutida em reunião da equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro nesta manhã na casa do empresário Paulo Marinho, no Rio de Janeiro. Um dos temas do encontro foi a escolha de pessoas que vão compor a equipe de transição e o futuro governo.

 

Castello Branco foi membro do Conselho de Administração e do Comitê de Auditoria da estatal entre 2015 e 2016, quando Graça Foster era a principal executiva da companhia e Dilma Rousseff presidente da República. Ele foi também diretor de Normas e Mercado de Capitais do Banco Central (BC) em 1985, no governo de José Sarney.

 

Fez o pós doutorado em 1978 pela Escola de Economia da Universidade de Chicago. Um das maiores referências entre a vertente liberal, a instituição teve como aluno Paulo Guedes, escolhido por Bolsonaro como futuro ministro da Economia, pasta que deverá reunir a Fazenda e o Planejamento .



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.