Fake news Servidora pública agredida por eleitores de Bolsonaro é vítima de falsidade ideológica Publicação mentirosa alega que vítima teria negado que agressores eram simpatizantes do candidato do PSL.

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/10/2018 11:02 Atualizado em: 15/10/2018 21:41

Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

A servidora pública Paula Pinheiro Ramos Pessoa Guerra, que foi agredida por simpatizantes de Jair Bolsonaro no último domingo, é agora alvo de falsidade ideológica. Tem circulado nas redes sociais uma imagem com suposta declaração da vítima em seu perfil no Facebook mostrando um depoimento em que ela diz não saber se os agressores eram, de fato, eleitores do candidato do PSL. A publicação é falsa e foi publicada como sendo verídica no site Gospel Geral. 

A própria Paula Guerra já desmentiu a declaração atribuída a ela. A imagem propagada traz o seguinte texto: "Obrigado pelo o apoio meus amigos, mais de fato eu não sei se esse povo que me agrediu era apoiadores do Bolsonaro, a Folha de São Paulo que afirmou isso, eu não afirmei que era apoiadores do Bolsonaro… (sic)". Não só o conteúdo é mentiroso como a imagem do suposto perfil de Paula Guerra também é falso. 


No site Registro.Br, que pertence ao Comitê Gestor da Internet no Brasil, consta que o site Gospel Geral Pertence a Rodrigo Santos Tavares e existe e o domínio existe desde 2014. O e-mail de contato do proprietário (informatica@vigilancia-to.com.br) é de um domínio pertencente à Vigilância Sanitária do Tocantins, provavelmente ao setor de informática. 

No texto do Gospel Geral, ainda há insinuação de que a notícia sobre ataque seria uma "fake news" produzida pela Folha de São Paulo, com o intuito de receber mais de R$ 25 milhões do Partido dos Trabalhadores. O site traz ainda outras notícias de origem duvidosa, além de publicações favoráveis a Jair Bolsonaro e textos que mesclam desinformação, conspiração, religiosidade e até fatos sobrenaturais. Uma das publicações mais recentes tem como título "Demônio aparece num acidente de carro em São Paulo".  

Conteúdos irregulares ou mentirosos relacionados às eleições podem ser denunciados ao Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco pelo e-mail propaganda.internet@tre-pe.jus.br ou e pelos telefones (81) 3194-9575 e (81) 3194-3194-9576.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.