Eleições Jornalista e professora agredidas por militantes de Bolsonaro no Recife Professora de 75 anos usava camisa com a frase "#elenão" e foi chamada de petralha e vagabunda

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 13/10/2018 15:04 Atualizado em: 13/10/2018 15:23

Foto feito pela vítima que vidro do carro quebrado. Divulgação
Foto feito pela vítima que vidro do carro quebrado. Divulgação

 

Uma jornalista, com doutorado em sociologia, teve uma janela de seu carro quebrada neste sábado (13), na Rua Pessoa de Melo, na Madalena, Zona Oeste do Recife. O carro dela tinha três adesivos. "Fora, Temer, golpista", "Haddad é Lula 13" e "Humberto 130". Ela contou que não estava dentro do veículo enquanto a violência foi praticada. E frisou que os adesivos continuarão lá, no carro, porque a intimidação faz parte da estratégia dos adversários para desmobilizar as pessoas do campo contrário. “Se arrancarem, coloco outros”. A jornalista pediu para não ter o nome identificado, porque o comitê de Bolsonaro será inaugurado nesta segunda-feira em frente ao Mercado da Madalena. “Então, parece que meu bairro está ficando um lugar perigoso. Infelizmente, a violência foi naturalizada e os programas policiais colaboraram muito pra isso.Um negro capoeirista é assassinado com 12 facadas.Uma jornalista é agredida, uma servidora pública é agredida, uma garota tem a suástica desenhada em seu corpo com um canivete.São inúmeros os casos e isso parece não sensibilizar as pessoas! Muito triste isso que estamos vivendo!". A jornalista acrescetou ter feito um boletim de ocorrência.

Uma professora aposentada do IFPE e ex-professora da Universidade Católica de Pernambuco também sofreu agressões, ao atravessar a Avenida Real da Torre. Ela tem 75 anos, é professora desde os 16, sertaneja e doutora em linguística. Segundo relatos de sua filha, o agressor acelerou  carro, “parou do lado dela, baixou o vidro e soltou o veneno. O motivo? Ela usava uma camisa #EleNao. Os xingamentos mais leves foram: petralha e vagabunda”. “É ou não é uma ditadura? Agradeço não ter acontecido nada pior, mas a luz amarela já tá acesa faz tempo!”, declarou. O nome das fontes foram preservados porque todas estão assustadas.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.