Violência Produtora denuncia espancamento por apoiadores de Bolsonaro no Recife A vítima estava em um bar e usava bottons com palavras "Ele não" e adesivos da campanha de Ciro Gomes (PDT)

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/10/2018 22:55 Atualizado em: 11/10/2018 01:52

Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

Após o resultado do primeiro turno das eleições, no domingo (7), uma série de relatos violentos vem sendo revelados em todo Brasil. Nesta quarta-feira (10), a produtora Érica Santos, relatou, em uma rede social, que apoiadores do candidato à presidência pelo partido PSL, Jair Bolsonaro, espancaram uma amiga, de 37 anos, identificada como "Pipa Guerra", no bar O Pioneiro da Fava, no bairro de Cajueiro, no Recife. 

Segundo relato da produtora, a agressão teve início quando a amiga estava  no bar e  dois homens e uma mulher começaram a agredir verbalmente a vítima, que usava bottons e adesivos  em apoio ao ainda candidato Ciro Gomes (PDT) e com as palavras do movimento "Ele Não".

"Somos muito amigas e sempre íamos votar e assistir a apuração juntas. Estou em outro estado e ela começou a mandar fotos mostrando o bar onde estava. Nisso, ela identificou que  havia eleitores de Bolsonaro no mesmo local e eles a ameaçaram mostrando uma arma", relatou.

Assim que viu a arma, de acordo com a Érica, a amiga começou a fazer um vídeo e enviou para ela mostrando os rostos dos envolvidos na ação. Depois disso, a produtora revela que soube apenas nesta quarta-feira que a amiga teria sido atacada e estava internada. 

Somente depois de três dias do ocorrido é que a produtora teve notícias da amiga. "Recebi hoje uma série de fotos que a filha dela me enviou dizendo que ela tinha sido brutamente atacada. E só agora saiu do hospital. Ela me contou que não a mataram porque garçons do bar conseguiram a puxar para dentro da cozinha do estabelecimento", disse a Érica, que afirmou estar em choque diante o ocorrido. 

Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

A produtora afirmou que a vítima teve o pulso quebrado e precisaram colocar uma placa. Ela também divulgou um laudo médico que informa diversas lesões pelo corpo: fratura em terço distal do rádio direito, hematoma periorbital esquerdo, múltiplos hematomas distribuídos pelo crânio, principalmente em região frontal e couro cabeludo, além de hematomas no braço esquerdo.

"Minha amiga querida, minha irmã da vida, a mulher que esteve do meu lado em milhões de momentos dividindo tudo de bom e tudo de ruim foi brutalmente e covardemente atacada por apoiadores de Bolsonaro", escreveu a amiga da vítima em uma publicação no Facebook.

Érica informou ainda que a vítima e amigos estão em choque e, que,  o Boletim de Ocorrência será registrado ainda esta semana, assim que a vítima tiver condições de falar. 

Após a denúncia, Érica comentou que vem recebendo ameaças. Algumas pessoas afirmam que ela está mentindo outras a atacam virtualmente nas redes sociais. Ela divulgou dois prints de alguns dos ataques e informou que tomará as devidas providências.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.