polêmica Depois de repercussão nas redes sociais, Fernanda Pessoa explica posicionamento contra Bolsonaro Gravações em áudio que circulam pelo aplicativo de mensagens WhatsApp, mostram a professora questionando os alunos sobre voto no candidato do PSL. Ela revela ter sofrido ameaças

Por: Bettina Novaes Ferraz

Publicado em: 09/10/2018 21:11 Atualizado em: 09/10/2018 22:22

Foto: Libre Promo/Divulgação (Foto: Libre Promo/Divulgação)
Foto: Libre Promo/Divulgação
A professora de Português e Redação Fernanda Pessoa, uma das mais procuradas pelos jovens nos cursinhos preparatórios para o ENEM, virou alvo de polêmica nas redes sociais, nesta terça-feira (9). Alunos acusam a educadora de constranger estudantes que votam ou são simpatizantes do candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro. 

Gravações em áudio que circulam pelo aplicativo de mensagens WhatsApp, mostram a professora questionando os alunos. "Vocês acham certo ele (Bolsonaro) não participar de um debate à vespera de uma eleição? Eu queria ouvir vocês", pergunta Fernanda. "Por que não vai participar se ele recebeu alta?", questiona ela mais uma vez, em referência ao debate da Rede Globo, que ocorreu na última quinta-feira (4). 

Em outro trecho da gravação, Fernanda comenta sobre o futuro da presidência, caso Bolsonaro assuma. "Eu sei o que esse homem vai fazer. Vão tirá-lo do poder e quem vai assumir é o louco do Mourão, certeza". Em seguida ela diz "estou falando de opinião e vocês têm preparo emocional para entender que é só a minha opinião. Você tem a sua".  No final, a professora pede desculpas aos alunos. "Estou brincando, parou, me perdoem", finaliza. 

No Instagram, a última foto publicada pela professora, até o fechamento desta reportagem, contava com quase 8 mil comentários, entre manifestações de apoio e contra a sua manifestação em sala de aula. No Twitter, o assunto entrou nos Trending Topics (assuntos mais comentados do momento) no Recife. 

Outra gravação mostra um homem ligando para a recepção do curso Fernanda Pessoa. Em conversa com o recepcionista, o homem questiona se é lá que "tem uma professora venezuelana". Ao receber resposta negativa do funcionário, ele dispara: "é que tem um áudio aqui na internet em que ela coage os alunos a votarem no PT e nessas bostas da Venezuela". Ele finaliza a ligação dizendo: "Mande ela para a puta que pariu. Ela, Cuba e Hugo Chavez". 

Em áudio gravado em sala de aula, Fernanda pediu desculpas aos alunos e afirmou que sua intenção não foi constranger os eleitores de Bolsonaro. Ela disse ainda que a gravação que circula na internet está cortada e fora do contexto. "Eu não esperava que fosse haver uma repercussão tão negativa. Acho que todo mundo que ouviu o áudio, viu que ele estava partido", desabafou. 

"A minha ideia nunca foi constranger nenhum eleitor de Bolsonaro", se defendeu Fernanda. "As pessoas que estudam aqui sabem quanto a gente tenta democratizar os espaços. Tem três microfones abertos o tempo inteiro pra pessoas falarem", completa ela, que revela, ainda, estar sendo ameaçada. "Nunca imaginei passar por isso. Vocês não tem noção do tanto de ameaças que eu tô recebendo, a mim e à minha família. Não vou mais trazer nenhum comentário que traga reflexão a esse nível", completou a professora. 

Até o fechamento desta reportagem, não foi possível contato com a professora. 




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.