Sabatina Lóssio defende unificação das polícias civil e militar Candidato pelo Partido Rede Sustentabilidade, Júlio Lóssio participou de sabatina na tarde desta terça-feira

Por: Mariana Moraes

Publicado em: 11/09/2018 15:21 Atualizado em: 11/09/2018 15:40

Na última pesquisa divulgada, Julio Lóssio aparece em quarto lugar com 5% das intenções de voto. Foto: Nando Chiappetta/DP
Na última pesquisa divulgada, Julio Lóssio aparece em quarto lugar com 5% das intenções de voto. Foto: Nando Chiappetta/DP
Candidato ao governo de Pernambuco pelo partido Rede Sustentabilidade, Julio Lóssio participou de sabatina realizada pelo G1, portal da Rede Globo de Comunicação, no começo da tarde desta terça-feira (11). O ex-prefeito de Petrolina, e único concorrente ao pleito que não é de Recife, afirma que, se eleito, fará uma série de modificações no Estado, mas não deixou claro como conseguirá financiar tais medidas.  

Durante a entrevista, e em seu plano de governo, Lóssio defende propostas inovadoras para segurança. O candidato fala em unificar Polícia Militar e Civil, além de trocar o Batalhão de Polícia Rodoviária pela Polícia Rodoviária Estadual, na tentativa de diminuir o tráfico de armas e drogas que viriam de outros estados. Quando perguntado de onde tiraria dinheiro para pôr em prática tais mudanças, o postulante se limitou a dizer que o número de policiais "não precisa ser muito grande, mas vai ser utilizado com inteligência para defender nossas fronteiras".

Ainda no assunto segurança, Lóssio criticou o Pacto pela Vida e disse que "colocar mais polícia nas ruas não resolve". O candidato apontou o monitoramento dos jovens na escola como um caminho contra a violência e discorreu sobre Presídios-Trabalho. "Vamos criar três grandes presídios de trabalho, mas não vou construir prédio, nós vamos pegar o que existe e botar para trabalhar. Por exemplo, no Vale do São Francisco queremos fazer um presídio agrícola" disse. "Os homens que quiserem trabalhar terão bônus remuneratório, redução de pena e vão aprender um ofício. Porque o neguinho (sic.) entra lá no presídio, fica 10 anos e quando ele sai só aprendeu uma coisa: ser mais bandido. Precisamos dar um ofício para eles terem o direito de não continuar nessa vida".

Formado em medicina pela Universidade Federal de Pernambuco, Lóssio também apresenta iniciativas diferentes para Saúde. Um de seus projetos é o Aniversário Saudável. "No mês do seu aniversário, você será convidado pelo seu agente de saúde para fazer seus exames", disse o candidato, defendendo que esta é uma medida que diminuirá a superlotação nos hospitais. De acordo com Lóssio, os agentes envolvidos serão beneficiados com mais um salário mínimo, isso se cumprirem as metas. Para fechar o tópico, o candidato afirmou que seu governo vai "acabar com a esculhambação de político marcar exames".

Lóssio também se apresentou contrário ao número de secretarias que atuam hoje no Estado e tem planos para reduzi-las para 10, mais da metade das 22 que existem atualmente. "Ninguém controla mais do que os dez dedos da mão", afirmou. Sobre os secretários, Lóssio também afirma que serão técnicos e não deputados.  

Nos momentos finais da entrevista, o candidato da Rede deveria responder com sim ou não aos tópicos levantados pelas jornalistas. Neste momento, ele mostrou-se contrário à redução da maioridade penal, taxação das igrejas, foro privilegiado para políticos e ao aborto. Lóssio disse sim ao porte de armas, legalização da maconha e às cotas. 

Na última pesquisa realizada pelo instituto Real Time Big Data, feita após os guias eleitorais e divulgada na última quarta-feira (5), Lóssio aparece em quarto lugar com 5% das intenções de voto.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.