Eleições Julio Lóssio promete duplicar BR 232 e fazer arcometropoliano Para o candidato, o governo pode pegar o terreno onde vai ser feita determinada estrada, vender antecipadamente áreas residenciais, comerciais ou industriais ao redor e utilizar o dinheiro para construir as rodovias

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 10/09/2018 21:33 Atualizado em: 10/09/2018 21:39

O candidato da Rede ao governo do estado, Julio Lóssio, comprometeu-se nesta segunda-feira (10) a duplicar a BR-232 e realizar o arcometropolitano que liga Suape a Mata Norte, utilizando uma experiência aplicada no Rio de Janeiro chamada de “Porto Maravilha”. Para Lóssio, o estado pode utilizar a Cepac (Certificados do Potencial Adicional de Construção) para financiar Operações Urbanas Consorciadas que recuperam áreas degradadas nas cidades. O que significa essa sigla pouco conhecida, segundo o candidato? Que o governo pode pegar o terreno onde vai ser feita a estrada, vender antecipadamente áreas residenciais, comerciais ou industriais ao redor e utilizar o dinheiro para construir estradas. Lóssio lembrou que o Porto Maravilha foi uma das poucas obras concluídas para as Olimpíadas sem precisar de recursos públicos.


“Quando você faz uma estrada, no entorno daquela obra gera um valor agregado muito grande. O estado pode participar do valor agregado. Evidentemente que vamos buscar recursos federais, mas a ideia do Cepac para o arco e para a BR-232 também deve ser observada com carinho e cuidado. É uma forma de fritar o porco com sua própria banha. Isso tem se feito no mundo todo”, declarou.


Em entrevista, após participar do debate, Julio Lossio afirmou o Porto de Suape não deve ficar nem com o governo federal nem estadual, “porque senão vira cabide de emprego”. “Queremos fazer uma concessão, colocar gente do meio para administrar aquilo e o que vamos querer é que possa oferecer as melhores condições possíveis para nossos empresários e exportadores. A manga e a uva de Petrolina, muita parte dela, está indo para Salvador. E olha que Salvador está mais longe de Suape do que a Europa e os Estados Unidos. Mas o custo do nosso porto (de Suape) é alto porque tem um custo político envolvido e a gente quer tirar isso”.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.