Sabatina Em entrevista, Armando Monteiro reforça propostas de combate à violência Durante o programa NE1, o petebista falou do seu plano de governo, caso seja eleito, como criação do "Comando Cidadão" e do "Patrulhas Rurais"

Por: Mariana Moraes

Publicado em: 10/09/2018 15:52 Atualizado em: 10/09/2018 16:11

Foto: Leo Caldas/Divulgação
Foto: Leo Caldas/Divulgação
No começo da tarde desta segunda-feira (10), o candidato ao pleito de governador de Pernambuco, Armando Monteiro, concedeu entrevista à Rede Globo de Comunicação. Durante o programa NE1, o petebista falou do seu plano de governo, caso seja eleito, pontuando inovações para o estado, como criar o "Comando Cidadão" e "Patrulhas Rurais", porém, sem fazer grandes promessas para outros setores. 

Armando afirmou que assumirá a questão da segurança do Estado na "linha de frente", além de tratar esta como tema central. "É preciso restaurar a autoridade do governo. Pernambuco já teve um período recente de ganhos na segurança, reduzimos a criminalidade, mas nos últimos três anos jogamos tudo fora" afirmou. "Vamos resgatar o Pacto Pela Vida. Vamos para linha de frente, criar o Comando Cidadão vinculado diretamente ao gabinete do governador, ordenar as ações e motivar os policiais oferecendo condições mais adequadas". O postulante também falou em criar Patrulhas Rurais, afirmando que "a insegurança está nas zonas mais interiorizadas". 

Segundo Monteiro, "fazer as delegacias funcionarem 24h é uma coisa concreta, é possível". Como ferramenta para que essas novas ideias funcionem, Armando apresenta o projeto de utilizar egressos militares para funções administrativas. "Em vez de termos policiais militares treinados fazendo funções administrativas na retaguarda, vamos liberá-los para ir às ruas e colocar nestas funções jovens egressos do serviço militar. Usaremos efetivos que já estão na folha do estado, não será aumento de gastos".   

Mesmo com as novidades indicadas para a segurança, o político não se aventurou em outros setores. "Vamos retomar obras que estão interrompidas, Pernambuco não tem margem para se endividar mais" afirmou. Sobre a adutora do agreste, o candidato respondeu que "não pode fazer este tipo de promessa". "Isso depende de uma articulação e de recursos do governo federal. O que eu posso dizer é que eu vou, junto com a bancada federal, lutar para colocar na união mais projetos de Pernambuco e definir o cronograma da obra".

As medidas para lidar com as barragens são parecidas. "Vou concluir as que estão em estágio mais adiantado" pontuou. "Essas obras tiveram problemas porque os órgãos de fiscalização questionaram os projetos, há problemas de qualidade. Vamos verificar as condições de recursos para concluir todo o sistema".

Quando questionado sobre a saúde e superlotação dos hospitais, o candidato discorreu sobre um "mutirão" que resolveria problemas como consultas, atendimentos e marcação de cirurgias. Sem apresentar propostas concretas, Armando falou que o desafio de seu governo seria "descentralizar, melhorar gestação, qualificar serviços e humanizar o atendimento".  

Perguntado sobre como faria para atrair investimentos para o estado, Monteiro respondeu que "primeiro precisamos torcer para o Brasil melhorar". "Os estados crescem quando a união também cresce. Mas há muito o que um governador pode fazer, por exemplo uma política tributária amigável aos microempreendedores".

A aliança com o DEM e PSDB também foi tratada durante a entrevista. Mesmo sendo um dos grandes apoiadores do governo Dilma Rousseff, o candidato do PTB diz não se sentir desconfortável dividindo palanque com os ministros, pró impeachment, Bruno Araújo e Mendonça Filho, além de defender que existe afinidade entre eles. "Essas forças se alinham no campo da oposição" diz. "Isso é o que nos reúne. E eu reconheço neles homens honrados, com uma extensa folha de serviços prestados a Pernambuco, portanto não me sinto desconfortável ao lado deles e nem mudei de posição."  

Com mais de 20 anos de congresso, entre os mandatos de deputado e senador, Armando teve um projeto de lei aprovado - nomear um trecho da BR 423, entre São Caetano e Garanhuns- e diz ter vida política "muito positiva": "Não sou eu que me avalio, são órgãos e instituições independentes que me colocaram, várias vezes, como um dos mais atuantes do Brasil e um dos 5 melhores Senadores", explica o postulante.  

Sabatinas:   

Também estava marcada para esta segunda (10) a primeira sabatina com um candidato ao governo transmitida pelo portal G1, da Rede Globo de Comunicação. Armando Monteiro (PTB) deveria ser o primeiro postulante a participar da série, mas não compareceu.  

Confira abaixo os próximos candidatos que serão sabatinados: 

Julio Lossio (Rede) - 11/09  

Maurício Rands (Pros) - 12/09 

Ana Patrícia Alves (PCO) - 13/09  

Paulo Câmara (PSB) - 14/09  

Dani Portela (PSOL) e Simone Fontana (PSTU) - 15/09 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.