Eleição Paulo Câmara entra com ação na Justiça para usar 'Turma de Temer' contra Armando O advogado disse também ter esperança do pedido ser acatado, ainda, nesta quarta-feira

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 05/09/2018 18:29 Atualizado em:

Fotos:Hesíodo Goés/Esp DP /Valter Campanato/Agência Brasil e Roberto Freire/SEI
Fotos:Hesíodo Goés/Esp DP /Valter Campanato/Agência Brasil e Roberto Freire/SEI
Após a Justiça Eleitoral determinar que o governador e candidato à reeleição de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) não poderá mais se referir ao concorrente Armando Monteiro (PTB) usando a expressão "Turma de Temer", a coligação Frente Popular de Pernambuco entrou, nesta quarta-feira (5) com uma ação pedindo para que pudesse utilizar o termo. 

De acordo com o advogado Carlos Neves, da Frente Popular, a determinação fere o direito à liberdade de expressão e impede o debate político. Neves entrou com um mandado de segurança solicitando a revisão de decisão tomada pela  desembargadora Karina Albuquerque Aragão de Amorim. 

“Não existe dúvida de que a expressão usada é cabível. Os dois candidatos ao Senado (Mendonça Filho/DEM e Bruno Araújo/PSDB) que estão no palanque dele (Armando) foram ministros no governo Temer. Eles tentam esconder isso. Se o candidato (ao governo) não se sente parte deste contexto deveria se inserir em um palanque distinto. Não existe crime quando falamos que eles formam a Turma de Temer porque eles atuaram mesmo”, ponderou Neves. 

O advogado disse também ter esperança do pedido ser acatado, ainda, nesta quarta-feira para que a Frente Popular possa voltar a usar o termo "Turma do Temer" quando se referir ao palanque de Armando Monteiro.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.