Campanha Justiça proíbe Paulo Câmara de se referir a Armando como 'Turma do Temer' Caso descumpra a decisão o governador poderá pagar multa de R$ 5 mil por veiculação

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 05/09/2018 17:30 Atualizado em: 05/09/2018 18:01

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O Tribunal Regional Eleitoral determinou, nessa terça-feira (4), que o governador e candidato à reeleição de Pernambuco, Paulo Câmara, não poderá mais utilizar a expressão "Turma de Temer" durante a propaganda eleitoral. A decisão dada pela Justiça é de que seja retirada de imediato todas as peças que tenham o termo, tanto na publicidade de rádio e TV, quanto nas redes sociais. Caso descumpra a decisão o governador poderá pagar multa de R$ 5 mil por veiculação.

“Fazendo uma reanálise fática de todo o conteúdo apresentado, verifico que a ideia que se pretende passar pela Coligação representada é totalmente incoerente com a posição política adotada pelo candidato Armanda Monteiro. E, para além do mais, quer revelar uma aliança política que de fato inexiste”, afirma a juíza Karina Albuquerque Amorim

A defesa de Armando teria utilizado como provas, algumas matérias de jornais que comprovam a ligação entre Armando e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Eles tentaram confundir a população, quando a realidade é que Paulo liberou secretários para votarem contra Dilma e foi elogiado por Temer em entrevista recente à Rádio", disse o coordenadro jurídico da campanha de Armando, Walber Agra.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.