ELEIÇÕES 2018 Barroso rejeita pedidos para impedir veiculação de propaganda com Lula O vice-presidente do TSE decidiu rejeitar os pedidos formulados pelo partido Novo e pelo MBL para impedir a veiculação de qualquer propaganda que apresente o ex-presidente como candidato ao Planalto

Por: AE

Publicado em: 05/09/2018 07:57 Atualizado em:

Para Barroso, um eventual descumprimento à determinação estabelecida pelo plenário do TSE "deverá ser analisado, caso a caso, pelos juízes auxiliares deste tribunal". Foto: Evaristo Sá/AFP
Para Barroso, um eventual descumprimento à determinação estabelecida pelo plenário do TSE "deverá ser analisado, caso a caso, pelos juízes auxiliares deste tribunal". Foto: Evaristo Sá/AFP
O vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, decidiu, na noite desta terça-feira (4/9), rejeitar os pedidos formulados pelo partido Novo e por um dos líderes do Movimento Brasil Livre (MBL), o candidato a deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), para impedir a veiculação de qualquer propaganda que apresente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como candidato ao Palácio do Planalto.

Para Barroso, um eventual descumprimento à determinação estabelecida pelo plenário do TSE - que impediu a aparição de Lula no horário eleitoral na condição de candidato - "deverá ser analisado, caso a caso, pelos juízes auxiliares deste tribunal" que cuidam de questões de propaganda eleitoral. 

Três ministros do TSE cuidam de representações por propaganda eleitoral irregular que chegam ao tribunal: Luís Felipe Salomão, Carlos Horbach e Sérgio Banhos. Os três já tomaram decisões barrando peças publicitárias da campanha eleitoral do PT.

O Partido dos Trabalhadores já sofreu pelo menos cinco derrotas em questões de propaganda desde que o plenário do TSE negou o registro de Lula na madrugada do sábado, 1.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.