Eleições 2018 Decisão está baseada na lei, diz Marina sobre suspensão de propaganda do PT Candidata à Presidência também questionou o número de desempregados no Brasil

Por: Estadão Conteúdo - Estadão Conteúdo

Publicado em: 03/09/2018 13:30 Atualizado em:

Marina falou após evento na zona oeste de São Paulo, nesta segunda-feira (3). Foto: Marcello Casal jr/ Agência Brasil
Marina falou após evento na zona oeste de São Paulo, nesta segunda-feira (3). Foto: Marcello Casal jr/ Agência Brasil
A candidata da Rede ao Planalto, Marina Silva, disse que a decisão liminar do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de suspender a veiculação no rádio de propaganda com o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva "está baseada na lei". "Ninguém que foi condenado em segunda instância pode ser candidato. E se a pessoa está reclusa, com certeza deve se estender também a mesma restrição. A escolha de quem é o candidato pertence somente ao partido de fazer as candidaturas em conformidade com a lei", afirmou, após evento promovido pelo movimento Agora!, na zona oeste de São Paulo, nesta segunda-feira (3).

O ministro do TSE Luis Felipe Salomão concedeu liminarmente a primeira decisão contrária para retirada da candidatura de Lula da propaganda do PT no rádio, que coloca o ex-presidente como candidato.

A decisão acatou representação protocolada pelo partido Novo. Um outro pedido foi feito também contra a propaganda na TV.

"A sociedade brasileira está ávida por saber quem vão ser os candidatos. Até para que os candidatos participem dos debates, apresentando suas propostas, inclusive tendo de responder por seus erros, como, por exemplo, por que no governo Dilma/Temer, nós que éramos o País do emprego, agora temos 13 milhões de desempregados? É fundamental que os cidadãos possam fazer suas escolhas com base nas candidaturas", disse Marina.

TAGS: tse lula marina

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.