ELEIÇÕES Coordenador do MPF na Lava Jato vem ao Recife e faz alerta sobre corrupção 'Se a sociedade brasileira quer que essas pessoas sejam investigadas de modo mais célere, o caminho mais curto é que eles não sejam eleitas'

Publicado em: 27/08/2018 20:50 Atualizado em: 27/08/2018 21:09

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Nesta segunda-feira (27), o coordenador da força-tarefa do Ministério Público Federal (MPF) na Operação Lava Jato, procurador da República Deltan Dallagnol esteve no Recife para discutir o combate à corrupção. Ele discutiu a campanha "Unidos Contra a Corrupção", no auditório da Procuradoria da República, no bairro do Espinheiro. 

Segundo Dallagnol, depois de quatro anos da Lava Jato, houve um diagnóstico: uma corrupção sistêmica e alastrada. No evento, ele alertou aos eleitores a prestarem atenção aos candidatos, como por exemplo a forma em que eles votaram  nas Dez Medidas Contra a Corrupção e como eles se posicionaram ao julgamento do Conselho de Ética por pessoas acusadas por corrupção.

"Se a sociedade brasileira quer que essas pessoas sejam investigadas de modo mais célere, o caminho mais curto é que eles não sejam eleitas para que possam perder o foro privilegiado e responder como todos os mortais", ressaltou o procurador.

Unidos Contra a Corrupção tem como foco as eleições brasileiras. De acordo o procurador, a intenção é que representantes comprometidos com a pauta corrupção seja colocado no poder. "Nós temos conversado com a sociedade brasileira, por onde vamos para expôr as dificuldades do enfrentamenteo a corrupção e quais são as potenciais soluções", contou. 

A outra campanha presente “Pelejando por uma eleição mais justa”, foi discutida pelo procurador regional eleitoral auxiliar em Pernambuco Adilson do Amaral Filho. A iniciativa do Ministério Público Eleitoral em Pernambuco é baseada em elementos do cordel, com linguagem simples e acessível, a iniciativa procura despertar a consciência dos eleitores e prestar esclarecimentos sobre alguns temas importantes na disputa eleitoral.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.