Pendência R$ 3,50 podem deixar candidato ao governo de MG fora da eleição Segundo o MPE, Alexandre Flach estaria impedido por falta de quitação eleitoral, já que não votou nas eleições de 2014 nem justificou a ausência

Por: Estado de Minas

Por: Juliana Cipriani -

Publicado em: 22/08/2018 17:49 Atualizado em:

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook
O candidato do PCO ao governo de Minas, Alexandre Flach, pode ficar de fora da eleição porque não votou nas eleições de 2014. O pedido de registro dele está entre os 75 impugnados pelo Ministério Público Eleitoral mineiro. 

Flach disse que tomou conhecimento da impugnação e vai recorrer. “O MP alega uma pendência em uma eleição que eu desconheço. Estou voltando do Seminário Eleitoral do PCO que ocorreu em SP e ainda não pude ver o processo. Assim que voltar eu vou juntar a defesa nos autos”, disse.

Segundo o MPE, Flach estaria impedido por falta de quitação eleitoral, já que não votou nas eleições de 2014 nem justificou a ausência.

Pela legislação eleitoral, quem não vota nem justifica tem o título de eleitor cancelado e fica sujeito a vários impedimentos, como o de concorrer a um cargo eletivo ou em um concurso público, e não pode tirar passaporte, por exemplo. 

Alexandre Flach Domingues é advogado e declarou ao Tribunal Regional Eleitoral um patrimônio de R$ 100 mil, que classificou como 'outros bens imóveis'. O vice na chapa é o programador de computadores Sebastião Pessoa, também do PCO.

De acordo com a  Justiça Eleitoral em tese, basta o candidato pagar a multa de R,50 por turno e solicitar uma certidão circunstanciada de quitação eleitoral para apresentar ao relator do processo. "O cadastro eleitoral está fechado e não é possível registrar a regularização agora, por isso existe essa certidão circunstanciada", informou o TRE.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.