Pernambuco Paulo convoca militância para aquecimento Candidato abre novo período eleitoral com um evento político na quadra esportiva do Sport, na Ilha do Retiro, chamando o voluntariado para o engajamento nas ruas e nas redes sociais

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 16/08/2018 08:38 Atualizado em: 16/08/2018 09:27

Foto: Rapha Oliveira/Esp.DP (Foto: Rapha Oliveira/Esp.DP)
Foto: Rapha Oliveira/Esp.DP
A campanha do governador Paulo Câmara (PSB) repete, nesta quinta, uma iniciativa que deu certo em 2016 para Geraldo Julio (PSB), então candidato à reeleição a prefeito do Recife. Paulo abre esse novo período eleitoral com um evento político na quadra esportiva do Sport, na Ilha do Retiro, chamando o voluntariado para o engajamento nas ruas e nas redes sociais. Será uma aposta na cumplicidade com o eleitor, num momento em que tanta gente ainda está indecisa e sem disposição de ir às urnas. O ato se chama Grande encontro com voluntários P40 e será realizado a partir das 18h.  

A festividade também visa reforçar a imagem da chapa majoritária, anunciada no último dia 5 de agosto, um dia depois da vereadora Marília Arraes ser retirada da disputa estadual de forma definitiva. Ontem, inclusive, Paulo já fez algumas imagens com Fernando Haddad, vice de Lula e possível candidato do PT à Presidência da República. 

O governador está decidido a rotular o palanque de Armando Monteiro Neto (PTB) como a “turma do Temer”, mesmo sendo criticado pelos oponentes, que reagem mostrando a participação do PSB no impeachment de Dilma Rousseff (PT). “O PSB sempre esteve junto com o presidente Lula, trabalhando e pedindo voto para sua eleição. E não vai ser diferente dessa vez”, disse Paulo, ontem, em Brasília. 

Um dos coordenadores da campanha de Paulo, Geraldo Julio explicou que, embora o PSB tenha votado no impeachment, o que vai prevalecer, ao final, é a reaproximação entre os dois partidos e as afinidades nas pautas políticas. “A oposição quer fazer o que Temer fez, quer aumentar mais uma vez o metrô, o bujão de gás, quer aumentar a conta de energia mais uma vez, quer tirar mais direitos do trabalhador, jogar nas costas do trabalhador todo o problema fiscal através da reforma Previdência”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.