Pernambuco Julio Lóssio quer regulamentar serviço de mototáxi "A culpa dos acidentes não é das motos, mas do modelo. Ou, melhor dizendo, do não modelo de política voltado para transporte sob duas rodas", afirmou o ex-prefeito

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/08/2018 09:21 Atualizado em:

Candidato ao governo do estado pela Rede, o ex-prefeito de Petrolina Julio Lóssio cumpriu uma agenda, nessa segunda-feira, no município, no São Francisco, onde é adversário do grupo liderado pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB). Ele se reuniu com representantes de mototáxis para definir uma pauta que contemple questões como isenção de Imposto de Circulação de Mercadorias (ICMS) e Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para mototaxistas e motoboys. Lóssio coordena o próprio programa de governo. “Nosso programa tem cinco grandes eixos e vamos colhendo as contribuições. Estou à frente. A coordenação é uma coisa que não dá para terceirizar”, disse o ex-prefeito, que tenta captar os votos da vereadora Marília Arraes (PT) ao Palácio das Princesas.

Saúde pública  

O ex-prefeito discorda que a redução de impostos para esse segmento profissional - conhecido pela informalidade - possa estimular a compra de motos e, por tabela, sobrecarregar mais a saúde pública estadual – somente no ano passado, foram 31,1 mil vítimas de acidentes de motos em Pernambuco, 1,7 mil pessoas a mais que em 2016. “Pelo contrário. Isso produziria uma renovação da frota. Estamos também desenhando um programa de prevenção de acidentes de moto com foco na educação e fiscalização. Hoje gastamos cerca de R$ 600 milhões só na área hospitalar em acidentes de moto. Precisamos aregimentar os serviços e monitorar de perto quem pilota, como pilota e a que velocidade pilota”.

Para o prefeito, o serviço de mototáxi e motoboy precisa ser regulamentado. “Quem não acompanha não controla. Precisamos regulamentar o serviço como fizemos em Petrolina. A culpa dos acidentes não é das motos, mas do modelo. Ou, melhor dizendo, do não modelo de política voltado para transporte sob duas rodas. Na Holanda, por exemplo, temos muita gente usando bicicletas, mobilete, motos e, por ter uma política voltada para esse meio de transporte, não temos esse quadro desastroso que vivenciamos no Brasil”.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.