Versão Vaticano diz que papa Francisco não enviou terço especialmente a Lula A notícia da entrega do terço a Lula foi divulgado pelo PT em seu site oficial na própria segunda-feira

Por: Correio Braziliense

Publicado em: 12/06/2018 17:15 Atualizado em:

O rosário abençoado por Francisco que advogado argentino desejava entregar a Lula durante visita. Foto: Site PT/Reprodução
O rosário abençoado por Francisco que advogado argentino desejava entregar a Lula durante visita. Foto: Site PT/Reprodução
O Vaticano divulgou, nesta terça-feira (12), uma nota na qual busca esclarecer o episódio em que um rosário abençoado pelo papa Francisco foi entregue ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso há mais de dois meses em prédio da Polícia Federal em Curitiba.

Segundo o Vaticano, o terço não foi enviado pelo papa a Lula. A Santa Sé diz que o advogado argentino Juan Grabois, ex-consultor do Pontifício do Conselho de Justiça e Paz, que tentou visitar Lula na segunda-feira (11), levou um terço "abençoado pelo papa", mas que "terços como esse são levados, como o Santo Padre deseja, a tantos prisioneiros do mundo, sem entrar no mérito de realidades particulares".

A notícia da entrega do terço a Lula foi divulgado pelo PT em seu site oficial na própria segunda-feira. A versão do texto disponível nesta terça-feira (a matéria foi atualizada às 10h51) informa apenas que "o ex-presidente Lula recebeu na segunda-feira (11) do consultor do Vaticano Juan Gabrois um rosário abençoado pelo Papa Francisco". 

No texto, o PT critica o fato de a visita não ter sido autorizada, apesar de ter sido agendada previamente para a segunda-feira, "dia da semana em que Lula está autorizado a receber visitas de caráter espiritual". Ao UOL, a Polícia Federal negou que qualquer presente tenha sido deixado a Lula. O PT publicou a foto do terço que Gabrois desejava entregar.

Lula tem recebido aconselhamento religioso às segundas-feiras e já teve visitas de figuras como Leonardo Boff e Frei Betto. A justificativa para impedir Grabois de ser o convidado da semana na cela de Lula foi que ele não foi consagrado sacerdote — e, portanto, não poderia dar orientação espiritual para o ex-presidente. 

Em abril, as visitas de amigos, aliados e apoiadores de Lula foram proibidas pela juíza Carolina Moura Lebbos, da 12ª Vara Federal. A magistrada decidiu que, enquanto o ex-presidente estiver encarcerado na unidade policial onde começou a Operação Lava Jato, só serão permitidas visitações da família e dos advogados - regra da unidade para os demais presos.

Leia a íntegra da nota do Vaticano sobre o terço enviado a Lula
"Vários meios de comunicação brasileiros deram a notícia sobre a entrega de um Terço do Papa ao ex-presidente Lula. Esclarecemos:

O advogado argentino Juan Gabrois, fundador do Movimento dos trabalhadores excluídos e ex-consultor do Pontifício Conselho Justiça e Paz, deu uma entrevista em sua tentativa de visitar o ex-presidente Lula na prisão de Curitiba, onde está detido há mais de dois meses. Grabois disse que a visita era pessoal e não em nome do Santo Padre. Ele não teve a permissão para se encontrar com Lula.

Na entrevista, ele nunca declarou que foi o Papa a enviar o Terço, mas simplesmente que se tratava de um Terço que tinha sido 'abençoado' pelo Papa."


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.