BRASIL PF pede mais 60 dias de prazo para concluir inquérito sobre Temer Investigação é sobre o suposto pagamento de propina pela Odebrechet na Secretaria de Aviação Civil, quando a pasta foi comandada pelo MDB

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 15/05/2018 20:46 Atualizado em: 15/05/2018 21:50

Foto: Lula Marques/Arquivo/AgênciaPT
Foto: Lula Marques/Arquivo/AgênciaPT

A Polícia Federal pediu nesta terça-feira (15) mais 60 dias para concluir o inquérito contra o presidente Michel Temer. Além dele, são investigados os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia), todos são do partido MDB.

A abertura da investigação aconteceu com o intuito de  apurar se a Odebrecht pagou propina na Secretaria de Aviação Civil quando o MDB comandava a pasta. Os possíveis crimes cometidos seriam o de lavagem de dinheiro, corrupção ativa e corrupção passiva.

Segundo informações do portal de notícias G1, o pedido, desta terça-feira, foi enviado ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do caso na Corte. Antes da decisão, o pedido deverá ser encaminhado, pelo próprio ministro, para análise da Procuradoria Geral da República (PGR).


Decreto dos Portos
No último dia 7, o ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso autorizou  a prorrogação, por também 60 dias, de outro inquérito. A investigação é sobre o susposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A na edição do chamado Decreto dos Portos, assinado em maio do ano passado pelo presidente Michel Temer. Na mesma decisão, Barroso negou pedido da defesa de Temer para que o inquérito fosse arquivado.

Anteriormente, Temer negou todas as suspeitas. No início do ano, ele respondeu, por escrito,  a questionamentos dos delegados responsáveis pelo caso. No período, a defesa do presidente declarou que ele nunca foi procurado por empresários do setor portuário para tratar da edição do decreto.




Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.