• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Investigação Irmãos Batista lucraram R$ 73 milhões com crime contra o mercado, diz CVM Executivos usaram informações privilegiadas para lucrar na venda de ações da JBS, de acordo com a Polícia Federal

Por: Renato Souza - Correio Braziliense

Publicado em: 13/03/2018 12:40 Atualizado em:

Joesley Batista foi solto na semana passada, após ter outro mandado de prisão revogado pela Justiça Federal de Brasília. Foto: Vanessa Carvalho/AFP (Foto: Vanessa Carvalho/AFP)
Joesley Batista foi solto na semana passada, após ter outro mandado de prisão revogado pela Justiça Federal de Brasília. Foto: Vanessa Carvalho/AFP


Um relatório produzido pela Comissão de Valores Imobiliários (CVM) aponta que os irmãos Wesley e Joesley Batista lucraram em R$ 73 milhões com o uso de informação privilegiada no mercado financeiro. Os lucros, de acordo com o levantamento, ocorreram com a venda de ações antes da divulgação do acordo de delação premiada dos executivos vir a público, em 17 de maio do ano passado.

De acordo com o Ministério Público, a dupla cometeu uma manobra conhecida como insider trading, que é o uso de informações privilegiadas, que ainda não são de conhecimento público para lucrar no mercado. A Polícia Federal afirma que a JBS evitou a perda de até R$ 138 milhões com as operações no mercado financeiro. 

Joesley e Wesley foram presos por conta das acusações. Mas a prisão preventiva foi substituída por medidas cautelares, por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Joesley foi solto na semana passada, após ter outro mandado de prisão revogado pela Justiça Federal de Brasília. Nesta semana, ele entregou o passaporte à Justiça, e se comprometeu a não sair do país.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.