• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Opinião Fred Oliveira: A convocação Fred Oliveira é Chefe da Assessoria Especial da Prefeitura do Recife e ex-vereador

Publicado em: 07/12/2017 07:22 Atualizado em:

Em uma quinta-feira, estava almoçando quando recebi um telefonema do governador Eduardo Campos, que travou comigo a seguinte conversa: “Oliveira, preciso que você venha ao Palácio hoje às 17h, sem falta”. “Perfeito, governador”, respondi. “Estarei aí na hora marcada”. Chegando lá, imediatamente fui recebido, iniciando-se o seguinte diálogo: “Te chamei aqui para uma empreitada e quero que você me ajude”. E aí perguntei: qual é essa empreitada? Ele respondeu: “Esse ano vamos ter eleição para prefeito do Recife e o PT não está se entendendo sobre o seu candidato. Diante disso, não posso ficar alheio à eleição da capital. Se o PT se unir em torno de um nome eu irei apoiá-lo, entretanto, não havendo essa possibilidade, vou lançar um candidato do nosso partido e é aí que quero a sua ajuda. Você foi vereador muitos anos, presidente da Câmara, consequentemente, você vai coordenar os proporcionais da campanha”. 

Aí ponderei: governador, já estou aposentado... Quando ele retrucou: “Já viu homem como a gente se aposentar? O povo continua precisando de nós e não podemos faltar com ele!” Diante de tamanho “convencimento”, não tive outra alternativa a não ser aceitar a missão. Caí na besteira de perguntar: governador, posso pelo menos saber para quem vou trabalhar? Ele respondeu: “Eu ainda não sei, Oliveira! Na hora certa tu saberás”. Confesso que aquela convocação me fez tirar as teias de aranha de cima de mim, e me devolver o estímulo necessário para a difícil tarefa.  

O resultado da empreitada todo mundo conhece: Geraldo Julio foi eleito prefeito do Recife no 1º turno, consolidando definitivamente o nome de Eduardo Campos como grande articulador político e gestor visionário, fruto da excelente administração que empreendia à frente do governo estadual. Tinha a credibilidade e a confiança por parte do povo, necessárias a um grande líder, vitais às vitórias eleitorais que se seguiram: Geraldo Julio para prefeito do Recife e Paulo Câmara para governador.  

Com a visão de estadista, o governador Eduardo Campos inovou na administração pública, importando da iniciativa privada uma nova filosofia de gestão, com um rigoroso controle financeiro, pactuação de metas e execução de obras, nas áreas da segurança pública, saúde, educação e geração de empregos. Na segurança, com o programa Pacto Pela Vida, que resultou na redução do índice de criminalidade durante toda a sua gestão; na saúde, com a construção de três grandes hospitais, além de dezenas de UPAs; na educação, inovou com a entrega de tablets para todos os alunos, notebooks para todos os professores, robótica e no exitoso programa Ganhe o Mundo; na geração de empregos, Pernambuco atravessou a sua melhor quadra econômico-financeira, absorvendo toda a mão de obra local para os novos empreendimentos que chegavam, tais como: estaleiro, refinaria, Fiat, Hemobrás, Sadia, entre outros, tornando-se um novo eldorado brasileiro. 

Era um exemplo de político, gestor, amigo e chefe de família, contando sempre com a efetiva participação de Renata Campos nas decisões que marcaram o seu comportamento durante toda a vida, enfim, meu amigo, com muito orgulho!
Infelizmente o sonho de ser presidente da república foi interrompido tragicamente num acidente aéreo, que infelicitou o estado e o país.  


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.