• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
DENÚNCIA Geddel Vieira Lima é acusado de lavagem de dinheiro e associação criminosa A denúnica, feira pela Procuradoria-Geral da República se refere ao caso dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em malas, em um apartamento em Salvador atribuído ao ex-ministro

Publicado em: 04/12/2017 20:00 Atualizado em:

Foto: Divulgação/PF
Foto: Divulgação/PF
O ex-ministro Geddel Vieira Lima foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúnica, feira pela Procuradoria-Geral da República se refere ao caso dos R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrados em malas, em um apartamento em Salvador atribuído a Geddel. 

A PGR também denunciou acusou formalmente mais cinco pessoas: o irmão de Geddel, deputado federal Lúcio Vieira Lima; Marluce Vieira Lima, a mãe deles; o ex-assessor Job Ribeiro que trabalhava com Lúcio Vieira Lima; o ex-diretor da Defesa Civil de Salvador Gustavo Ferraz; o sócio da empresa Cosbat Luiz Fernando Costa Filho.

Na denúncia, a procuradoria aponta quatro possíveis fontes dos R$ 51 milhões:propinas da construtora Odebrecht; repasses do operador financeiro Lúcio Funaro; desvios de políticos do PMDB; transferência de parte de salário de assessores. 

O inquérito que investigou a participação dos acusados no caso foi concluído, na semana passada, pela Polícia Federal. Em documento. A PF detalha as razões pelas quais considera ilegal a origem dos R$ 51 milhões encontrados no apartamento em Salvador:

"Não é crível que uma pessoa dispusesse da absurda quantia se não houvesse o propósito de ocultar a sua existência; nem que duas figuras públicas com a inteligência do parlamentar Lúcio Vieira Lima e seu irmão Geddel, além de sua mãe, deixassem de auferir rendas se este valor estivesse devidamente declarado e formalmente inserido no sistema financeiro nacional e destacou a obrigatoriedade legal, moral e de transparência que esses representantes do povo tem de manter suas contas e finanças."


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.