• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Temer desobstruiu três artérias, deixa hospital na segunda-feira já pode voltar às atividades Presidente passou por procedimento médico no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. As informações foram dadas pelo cardiologista Roberto Kalil Filho

Por: AE

Publicado em: 25/11/2017 10:40 Atualizado em: 25/11/2017 10:47

Depois de passar por um procedimento médico para desobstrução de três artérias, na noite de sexta-feira, 24, o presidente Michel Temer continuará internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A alta está prevista para segunda-feira (27) de manhã, por volta das 10h, sendo que o presidente poderá retomar suas atividades no mesmo dia. As informações foram dadas pelo cardiologista Roberto Kalil Filho, que coordena a equipe responsável pelo presidente da República, em entrevista coletiva concedida neste sábado (25).

Temer foi submetido a uma angioplastia - procedimento também conhecido como cateterismo - para desobstruir três artérias coronárias, na principal área do coração. Foi feito implante de stent - um tubo minúsculo e expansível, colocado para melhorar o fluxo sanguíneo para o coração - em uma artéria principal (descendente anterior) e em uma secundária (artéria diagonal). Na outra artéria secundária (diagonalis), foi realizada apenas a angioplastia, com balão. As artérias estavam com nível de obstrução ao redor de 90% - em patamares acima de 70%, os médicos já indicam procedimento.

Kalil reafirmou que o procedimento, que iniciou por volta das 22h de ontem (24) e durou cerca de uma hora, foi bem sucedido. "Temer está bem. Ele é uma pessoa saudável, faz exercícios, se cuida. Foi algo pontual na vida do presidente". O médico informou ainda que Temer deverá tomar medicamentos "protocolares alguns por alguns anos, outros para o resto da vida".

O procedimento já estava previsto desde o final de outubro, mas não pode ser feito à época por causa de um problema urológico, que impediu que o presidente tomasse os medicamentos necessários para a realização do cateterismo. "Não foi uma cirurgia de urgência", salientou Kalil, lembrando, porém, que havia risco. "A doença cardíaca é silenciosa".

Ainda de acordo com Kalil, um novo boletim médico será divulgado apenas neste domingo (26), por volta de 10 horas.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.