• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Operação Torrentes Prefeitos da Mata Sul ainda atônitos com denúncia Bispo reuniu 12 prefeitos da região para discutir o desenvolvimento econômico e político da região

Por: Aline Moura - Diario de Pernambuco

Publicado em: 11/11/2017 08:09 Atualizado em: 11/11/2017 00:00

O secretário-geral da Confederação Nacional dos Municípios, Eduardo Tabosa, disse que houve choque entre os prefeitos da Mata Sul após a revelação de detalhes da Operação Torrentes. O gestor comentou que o bispo de Palmares, dom Henrique Soares da Costa, reuniu os 12 prefeitos da região para discutir o desenvolvimento econômico e político da região, mas os gestores ficaram “atônitos” com as denúncias.

Segundo o secretário, os prefeitos receberam a informação do governo do estado de que o Banco Mundial vai liberar R$ 1 milhão para refazer os projetos das quatro barragens que ficaram pendentes, mas a retomada das obras só deve ficar para 2019, depois do ano eleitoral. “Para ter execução no próximo ano teria que ter projeto pronto, licitação e início das obras antes de abril. Chegou-se à conclusão que não vai dar tempo. O governo abre o orçamento em janeiro, faz contingência e só libera para investimentos em março”.

Eduardo Tabosa disse que o Bispo Dom Henrique fez, entre as pautas apresentadas, a defesa do voto distrital, o que facilitaria a cobrança dos deputados eleitos pela região. “O bispo diz o seguinte: 'quando me perguntam da minha Diocese, digo que é a mais bonita, porém é a mais pobre. Tem belezas naturais, mas o povo é pobre, precisamos de um plano de desenvolvimento para a Zona da Mata com metas para curto, médio e longo prazo’”, frisou, mostrando o vácuo de poder que se encontra na região, a ponto de um homem religioso precisar tomar à frente para cobrar projetos para o desenvolvimento. Segundo Tabosa, o bispo dom Henrique é bem atuante e observa que os deputados pegam os votos da região e vão embora.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.