• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Opinião Mário Romano Maggiore: Apontamentos para amanhecer Mário Romano Maggiore é juiz da Vara da Infância e Juventude de Farroupilha-RS

Publicado em: 13/09/2017 07:27 Atualizado em:

Nas redes sociais, eu vejo carinha de bebê risonho. Vejo mamadeiras enfileiradas. Vejo frutas, maçã e melancia, pousadas sobre as pétalas das estrelas. Vejo bonequinhos multicoloridos de mãos dadas, ursos e borboletas esperando para serem mordidos. Vejo um menino, chamado Guilherme, fofo como a lua carregada de trapos. Quatro fotos mostram os encantamentos do Gui.

É um poema feito crônica:

“Guilherme é um lindo bebê! Ele tem 5 meses, dorme bem e se alimenta de leite e suco de frutas.

Gui apresenta algumas dificuldades no desenvolvimento, porém reage aos estímulos sonoros e visuais. Também possui peso e altura compatíveis com a idade.

No momento, encontra-se em avaliação médica frente a um possível diagnóstico de microcefalia como também ao tratamento de uma hérnia umbilical.

Guilherme está apto à adoção. Vamos ajudá-lo a encontrar sua família. Informações: ceja@tjpe.jus.br”.

Trata-se de um trabalho desenvolvido pelo Tribunal de Justiça do Pernambuco. Chama-se “Projeto Família: Um direito de toda criança e adolescente”.
As fotos do Gui foram publicadas em 24 de agosto de 2017, às 14h02. Não sei se a CEJA-PE já encontrou uma família para ele. Tomara que sim!

No muro do Facebook da CEJA-PE, há o histórico e a foto de diversos outros meninos e meninas aptos para adoção. Isto é atitude adotiva. É esticar o horizonte de quem precisa de um colo. É aproximar as linhas de quem quer dar um colo. São azaleias brancas, vermelhas e rosa florescendo as ruas da minha cidade. São ipês roxos e amarelos lindos à primavera e às calçadas. As flores devem ser vistas e recitadas.

Projetos dessa significância fazem os olhos se encardir de sonhos. São os melhores anjos da guarda que há. São pássaros carregando ciscos para os galhos das árvores. Empoçam luz nos ninhos. Protegem o silêncio e as palavras. Garantem a imagem, a privacidade, o acolhimento e o afeto. Desentortam conceitos tortos e me amanhecem.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.